Samba que te quero

Samba Calcinha: aprovada

Estava há meses namorando as criações da Samba Calcinha até que resolvi me presentear no final do ano passado com uma blusa de amamentação e mais absorventes de seio. Satisfação garantida. Além da entrega rápida, os produtos vieram em saquinhos lindos de tecido, que estou aproveitando bastante!

Na nova coleção, encontrei uma blusa que me cairia bem: justa no topo (manga bem curtinha, nada que deixasse meus braços mais finos; valorizando o peitoral) e soltinha na cintura. A foto na loja ajudou bastante e me senti segura em comprar online, porque olhei a tabela de medidas. A abertura para amamentação é bem no centro e comprida, atrás dela tem mais pano, então pode abrir pela direita ou esquerda sem sobrar pano, sem incomodar o rosto do bebê. Ainda mais bonita ao vivo. Ah, se tivesse comprado antes… Tinha espaço pra abrigar o barrigão!

Os absorventes de seio da Samba Calcinha são os que chamo de “noturnos”, porque são enxutos e densos. Para quando o bebê emenda mais horas de sono e o leite pode vazar à vontade. Com um lado estampado em algodão e outro numa “cobertura sempre seca”, em Melton (80% algodão, 20% poliester), tecido que não fica molhado em contato com o bico. São absorventes reutilizáveis e laváveis. Vêm com um fio de fita mimosa para prender – um no outro, assim você não perde o par, e no varal, pra não ficar com aquela marca nem entrar em contato com o prendedor de roupa, mantendo-o longe de contaminação.

A etiqueta da marca está em apenas um dos absorventes. Eu determinei que o absorvente etiquetado ficaria sempre do lado esquerdo, mas você pode usar esse disco com etiqueta para lembrar qual foi o último lado que amamentou. Além disso, o lado em algodão é estampado. Com cada par em uma estampa diferente, você mantém sempre as mesmas duplas de discos identificadas.

Notei que quando usados com o sutiã da própria Samba Calcinha, que comecei a usar mais recentemente, os discos ficam menos aparentes, pois o modelo é justinho e o tecido tem elastano. Aliás, confeccionado em tecido da Santa Constância composto por poliamida e elastano, seca rápido tanto se molhar de leite ou ao ser lavado. Por isso o sutiã da Samba Calcinha é durável e prático. Com o sutiã, a mesma impressão da blusa: mais bonito ao vivo (e vestindo).

Advertisements

Alimentação do bebê: por onde começar?

blog_Dora_banana

a clássica banana amassada

A partir dos seis meses do bebê, começa a introdução de alimentos. Com a orientação do pediatra, o bebê geralmente inicia provando frutas. Com a papa salgada, começam as aventuras dos pais na cozinha. Confesso que quase entrei em pânico chegando nessa fase, mas papinha é muito simples de fazer.

Pra quem morria de medo, tenho orgulho de dizer que minha filha, até completar 10 meses, nunca havia experimentado uma papinha pronta. E está bem nutrida – ao menos dizem que os centímetros comprovam boa nutrição, e ela é bem comprida. Segue mamando, mas provou muitos sabores e já quer comer sozinha. Na hora do lanche, mesmo na rua, nada mais prático do que levar uma frutinha, que já vem pronta e é só descascar (ou nem isso) e não gera lixo.

Quando a gente entra no embalo da papinha saudável, começa a se questionar sobre o que a gente come. A papinha do bebê vem da panela, o suco feito na hora, enquanto nosso pão está embalado em plástico, o suco vem da garrafa, pouco do que comemos é fresquinho. Lembrando que, até os dois anos da criança, se recomenda evitar açúcar (mesmo mascavo e até mel) e tudo o que venha embalado seja em pote de vidro ou plástico.

Esse período é mesmo uma ótima oportunidade de repensar a alimentação de toda a família. Até porque logo, logo o bebê vai comer o que os pais comem. Nada melhor do que a família inteira fazer refeições saudáveis, todos juntos, dando bom exemplo e lembrando que alimentação também é o momento de convívio à mesa.

Dora_papasalgada241113

papinha “salgada” (sem sal)

Separei sete fontes de dicas bacanas para começar a (re)pensar na alimentação dos pequenos e dos grandes:

* Lista dos alimentos mais contaminados por agrotóxicos pela Anvisa
Sempre bom recordar. Você sabia que no topo da lista, antes do morango, está o pimentão? E o pimentão é um alimento com muita vitamina C, sem dúvida melhor se consumido orgânico.

* Cartilha sobre introdução de alimentos do Ministério da Saúde
O guia sugere a quantidade de refeições de acordo com a idade do bebê e sugere papinhas para as diferentes regiões do país.

* Dez passos para a alimentação saudável – guia alimentar para crianças de até dois anos
Álbum pequeninho do Ministério da Saúde. Recomenda a alimentação variada e não forçar a criança a comer, principalmente se doente, pois o estresse diminui o apetite.

* Guia Alimentar da População Brasileira, que se encontra em consulta pública, sujeito a revisão de qualquer cidadão, até 7 de maio
Você pode avaliar as dicas antes que o material seja publicado. O guia incentiva o consumo de comida feita na hora e também as refeições em família, longe da TV e do celular.

* Alimentos Orgânicos – um guia para o consumidor consciente
A cartilha do Governo do Paraná sobre alimentos orgânicos, publicada em Youblisher (como livro digital, você pode virar as páginas), é bem completa e traz uma interessante comparação com os alimentos hidropônicos, ricos em nitrato (cancerígeno).

* Tabela de períodos de safra em São Paulo
Alimentos da época são mais ricos em nutrientes, precisaram gastar menos energia e combustível para chegar ali e recebem menos tratamento do que os produzidos fora de época. Consumir alimentos da safra, além de saudável, favorece o comércio local. A lista acima é do Ceagesp, portando válida para o Sudeste do Brasil.

* Post sobre amamentação até os dois anos ou mais
Bem científico: o leite humano é riquíssimo em nutrientes e contém DHA, permitindo que o cérebro do bebê alcance seu potencial máximo no aspecto cognitivo.

Leia mais:
Como escolher a cadeirinha de alimentação
Todos os posts sobre alimentação

Feliz Dia da Mulher!

LeanIn - Getty Images
Neste dia da mulher, recomendo dar uma olhada na coleção Lean In da Getty Images, uma campanha pelo emponderamento da mulher, com mais de 2.500 imagens de mulheres e meninas em situações de liderança. Toda vez que espio essa seleção de 44 fotografias, me encanta uma foto diferente.

Esses dias, aqui no Centro de São Paulo, uma menina chamava a atenção. Certamente sua foto se enquadraria bem na coleção. Ela vestia graciosamente um uniforme da seleção brasileira de futebol, calçava tênis cor-de-rosa e carregava uma bola pink, de mãos dadas com seu pai. A gente não devia se impressionar com imagens assim, mas já são poucas as crianças que vemos por essas ruas, quanto mais garotinhas de personalidade…

Meninas superpoderosas
Quem ainda não viu esse comercial dos brinquedos projetados para futuras engenheiras? O vídeo “Princess Machine” tornou-se um viral e foi feito para a GoldieBlox, fabricante de brinquedos. Fico feliz que o olhar sobre as garotas já está mudando – ou pelo menos a atitude das novas gerações.

Vinagre para o chão

bebê engatinhando: cuidados com a limpeza
Com a Dora se preparando para engatinhar, se arrastando pelo chão, temos o cuidado de manter o piso limpo. Temos o costume de andar descalços ou de chinelos, há uma sapateira logo na entrada do apartamento. Dizem que a “vitamina S” (sujeira) é uma proteção para o bebê, mas os produtos de limpeza, no geral, são venenosos. Como ela não só se apóia, mas também lambe o chão, mais seguro optar pela forma mais natural possível. Então começamos a comprar muito vinagre branco de álcool.

Tinha receio em fazer essa receita caseira com vinagre, porque não sou fã do cheiro (nem do gosto). Logo que aplicado, sente-se sua presença, mas não fica impregnado nem deixa cheiro. Muito melhor do que espirrar com os perfumes artificiais dos produtos químicos. Pode ser usado em várias superfícies (exceto mármore e granito), aplicado com um pano umedecido.

A mistura que usamos é a seguinte:

1/4 xícara de vinagre branco de álcool
4 litros de água morna
10 gotas de óleo essencial

Fonte: A Casa Limpa da Faxineira Ecológica, de Denis Beauchamp, p. 48

Estamos usando essência de citronela. Não experimentei, mas se você tem em casa uma colônia de bebê e quase não usa, de repente pode pingá-la no lugar da essência para perfumar a casa – ou pelo menos para o quartinho de bebê.

bebê no chão: vinagre para limpeza

Outros usos do vinagre
Em 2013, foi popularizado o uso do vinagre – para amenizar o efeito do gás lacrimogêneo nas manifestações. Você já experimentou em casa fora da salada?

Ele é mundialmente famoso como bom removedor de manchas. Como bactericida, também é usado no primeiro enxágue da lavagem de roupas para evitar mofo, remover resíduos e amaciar as peças. Para limpar a máquina de lavar, pode ser adicionado num ciclo sem roupas. Já para a lavagem das fraldas de pano, não é recomendável, pois pode afetar a impermeabilidade.

Leia mais:
Multiusos do vinagre segundo engenheiro químico
Se você tem medo de limpar chão de madeira com vinagre, use um pano de microfibra e torça bem para que fique quase seco na hora de passar no chão. É a dica dessa mamãe, que gosta de tudo bem limpo, à moda antiga.