Novo visual para velhas camisetas

20130627-204559.jpg

Partes superior e traseira são de uma ex-calça capri

Camiseta é mais do que uma peça de roupa, é vestir um conceito, estampar uma ideia, recordar um momento gostoso da vida. Uma viagem inesquecível, uma banda, um filme, uma frase, a turma do último ano do colégio, o time de basquete, as manchas de tinta e suor do vestibular ou da entrada na universidade, um autógrafo – motivo não falta para os fãs. Quanto mais velha a camiseta, o algodão parece mais macio e, para muitas pessoas, mais difícil de se desfazer.

Trago algumas ideias para mamães e papais apegados às suas antigas camisetas, para que não fiquem mofando no armário e voltem a circular:

1. Quando ficam justas
As camisetas podem ficar apertadas no futuro papai, mas ainda servir para acomodar a barriga da mamãe gestante.

DSC_0247

foto: trash to couture

Se é uma camiseta que a futura mamãe quer continuar a usar, pode abrir na lateral e fazer um belo trabalho em crochê para ampliá-la. Já que vai mexer, por que já não abrir na frente para usar na amamentação?

2. Quando ficam grandes demais
Lembram daquela moda anos 90 das camisetas extra grandes que as gurias usavam com legging para tapar o bumbum? Elas são tão enormes que podem virar qualquer peça de roupa. Eu transformei uma dessas num vestido. Poderia ser uma sacola ecológica também.

teebag

foto: Barbara Mugnai

3. Para vestir a casa
As estampas podem forrar almofadas ou ser reunidas num patchwork, numa colcha de retalhos.

DSCN9137

foto: cheap chic home

4. Para decorar a festa

20130627-204539.jpg

foto: divulgação

Inspirado no DVD do Arnaldo Antunes Ao Vivo Lá em Casa: por que não decorar um show, uma festa, quem sabe uma festa de noivado, open house, chá de panela ou casamento com a história do casal através de suas camisetas? E da criança, com vários tamanhos de camiseta?

5. Abraçar o novo bebê com suas estampas favoritas

IMG_4855-200x300

foto: mama makes stuff

Veja esse tutorial para fazer você mesmo um saco para o bebê dormir com suas camisetas velhas.

6. Carregar o bebê
Já mostrei aqui como transformá-las num wrap.

7. E o que fazer com os retalhos?

20130627-204548.jpg

foto: craftaholics anonymous

Cortar paninhos para limpar o bebê ou a casa, fazer faixas para as meninas ou um pompom, como na foto acima.

Orgânicos e ecológicos em São Paulo

20130627-122443.jpg

O pavilhão da Bienal, no Ibirapuera, em São Paulo, recebe a partir desta quinta, 27 de junho, a Bio Brazil Fair | BioFach América Latina – Feira Internacional de Produtos Orgânicos e Agroecologia e a Naturaltech – Feira Internacional de Alimentação Saudável, Produtos Naturais e Saúde. A nona edição dos eventos apresenta 200 expositores. Os produtos – alimentos, roupas, higiene, cosméticos, entre outros – estarão à venda aos visitantes. As feiras são exclusivas ao setor nos dois primeiros dias e abertas ao público geral, com entrada gratuita, sábado (29, das 11 às 20h) e domingo (30, até as 19h).

Para mamães e bebês, é a oportunidade de conhecer a papinha e o mingau orgânicos da Jasmine e os produtos biodegradáveis da Wiona. Além da fralda, a Wiona tem duas novidades: trocador descartável (que pode servir como forro de colchão ou para o cachorrinho de estimação) e absorvente biodegradável feminino. Para o restante da família, petiscos orgânicos para cães, biojoias (artesanais, de matéria-prima da natureza), terapias, alimentos e bebidas alcoólicas.

Por enquanto, a previsão do tempo é ótima para o final de semana em São Paulo. Perfeito para completar o passeio com um piquenique no parque.

Brincadeira de sucata

20130622-192017.jpg
Você pode ensinar seu filho desde os primeiros dias de vida a ter atitudes ecologicamente corretas e hábitos saudáveis. Desde o momento da escolha das fraldas, sendo um modelo exemplar, e também nas brincadeiras.

Para criar ainda mais intimidade dos pais com o bebê, no momento da troca de fraldas, a mãe ou o pai pode conversar e fazer jogos com a criança. Com um rolinho de papel higiênico, pode sussurrar um segredinho no ouvido dele. Você pode pintar ou forrar o rolinho – na foto, demos uma segunda utilidade a um pacote de presente.

20130622-192342.jpg

Mais adiante, você pode incentivar seu filho a criar seus próprios brinquedos com sucata, reaproveitando os materiais que tiver em casa. Diversão com criatividade! Meias velhas, por exemplo, podem ser transformadas em ursinho.

Meia_transformada

ideia original do painel Craft & Fun Ideas (I’ll Probably Never Do)

Inspire-se mais:
No Pinterest vocês podem encontrar mais ideias
A Mãe de Guri publicou esses tempos sobre brinquedos de papelão, com várias sugestões pra criar em casa

Crianças brasileiras merecem um país melhor

1010731_168635019980866_1075171861_n
O objetivo deste blog é compartilhar soluções possíveis, não fazer denúncia. No entanto, para garantirmos um mundo melhor, precisamos nos manifestar. Por isso apoio os movimentos que estão sendo realizados nas ruas brasileiras e a campanha #protestomaterno.

Para o país começar a mudar, os ministérios precisam entrar em comum acordo. Assim como o governo federal deve se comunicar melhor com os estados e municípios. E o povo tem o direito à real participação.

O Ministério da Saúde afirma que o aleitamento materno deve ser feito com exclusividade até os seis meses de idade e defende a livre demanda. As empresas já podem oferecer seis meses de licença maternidade, mas a Previdência Social subsidia apenas 120 dias de salário maternidade a seus contribuintes. O valor da contribuição mensal ao INSS, principalmente para contribuintes individuais, é proporcionalmente muito alto em relação ao valor do salário mínimo recebido. No retorno ao emprego, a lei só permite dois períodos de 30 minutos diários para as mães lactantes trabalhadoras amamentarem seus bebês, totalmente incoerente.

O Ministério da Saúde, ainda bem intencionado, criou uma caderneta de saúde da criança, à qual toda criança brasileira teoricamente tem direito. Porém, ela não é distribuída em postos de saúde, e a responsabilidade é das secretarias municipais de saúde (o Ministério da Saúde se abstém de responder ao cidadão, encaminhando o assunto aos municípios), que sequer são acessíveis por contato telefônico.

Além disso, se não estiverem cientes de seus direitos, gestantes, lactantes e portadores de crianças de colo não são tratados com prioridade em estabelecimentos públicos, mal sinalizados e com funcionários sem treinamento. Sem falar em falta de vagas em creches, na qualidade do ensino, nas calçadas, entradas de agências bancárias e de parques ou praças sem acessibilidade, e outras tantas questões primárias.

Leia na íntegra o manifesto do #protestomaterno:

“O Protesto Materno surgiu da vontade de mães fazerem algo pelo país, já que nem todas podem ir para as ruas com o seu filhote. O movimento começou com a adesão de mães blogueiras (mais de 150), que postam em seus blogs nessa sexta-feira suas visões e opiniões sobre o movimento legítimo e democrático que toma conta das cidades! O protesto reúne outras centenas de mães conectadas – que já estão divulgando o manifesto virtual via redes sociais – e as que decidiram levar essa união materna de volta para as ruas.

O intuito é engrossar as manifestações pacíficas que estão acontecendo pelo Brasil, apoiando mudanças além dos 20 centavos e que, sem dúvida, podem fazer da nação verde-amarela um lugar melhor para nossos filhos. Lutamos por educação, saúde, segurança, menos impostos, um basta a corrupção e impunidade.

Nem precisa ser mãe para divulgar o banner e a tag #protestomaterno, criados para representar a iniciativa – que pertence a todas as famílias brasileiras! Mas que fique claro; isso não é apenas a circulação de um banner bonitinho; é a união de pessoas realmente preocupadas com o futuro dos filhos!

Já são mais de 150 blogs maternos participantes, com o apoio de movimentos nas ruas de várias cidades. Nesta sexta-feira, às 10 horas da manhã, haverá um twitaço para balançar esse país!

Porque quem disse que mãe só entende de fralda?! Mãe entende do futuro dos filhos e quer o melhor para eles! Vem com a gente! Ajude, compartilhando, escrevendo, divulgando os links e acompanhando pela tag #protestomaterno! Também usamos #mudaBrasil #acordabrasil #vemprarua #ogiganteacordou.”

Apps para amamentação

20130619-122545.jpg

Amamentar é um momento mágico. O bebê já nasce sabendo sugar, não tem muito mistério. Nos primeiros meses de vida, principalmente, é essencial seguir a livre demanda: sempre que o bebê pedir, mama.

O que eu não sabia antes da minha filha nascer é que ela seria quase um reloginho, e nesses primeiros meses eu me sentiria trabalhando o dobro de um projecionista de cinema. São oito a dez sessões por dia de longas mamadas. Algumas são de épicos, podem levar horas, ter intervalo, bem lentas. Outras do tamanho de um documentário para cinema, mais enxutas.

Com uma pequena variação de tempo, a maioria é de longa-metragem. As sessões são em média a cada três horas – do horário inicial, como no cinema. O intervalo entre elas é variável e, nessa época, curto.

Para entender o ritmo do bebê e cuidar para que as mamadas não fossem também tão espaçadas, eu, que adoro um caderno, comecei a anotar. Adoro mesmo um bloquinho, um caderninho… Quem não lembra da música O Caderno, do Toquinho, cantada por Chico Buarque (por sinal, aniversariante do dia de hoje) naquele álbum Casa de Brinquedos?

Uma amiga (quem confeccionou com tanto carinho a almofada linda que aparece na foto) me incentivou a substituir meu caderno por um app. Pra quê gastar papel e caneta se o celular é mais fácil de carregar com você onde quer que vá? E não derruba árvores.

20130619-122712.jpg

Na mesma tela, vemos o histórico do dia ou das últimas 24h

Estou usando um aplicativo gratuito, o Nursing Log. (Prometo que o caderno já aberto não será esquecido num canto qualquer, terá outras anotações!) Nele, aparece tudo o que você pode querer consultar na mesma tela: histórico (do dia, das últimas 24h ou geral), um cronômetro para as duas mamas, horário inicial e final, distância da ultima mamada, número de mamadas e tempo médio. A desvantagem é o tamanho dos botões. Há um botão de pausa, então é possível ter noção do tempo despendido. Caso mude de idéia, aperte errado ou precise por qualquer motivo voltar à mama inicial, o programa entenderá como o início de uma nova mamada.

Em português, existe o aplicativo do site Aleitamento.com, que traz além de cronômetro e dicas de amamentação, um mapa para localizar bancos de leite (mas em São Paulo, por exemplo, indica apenas um endereço quando são vários).

20130619-122729.jpg

Diferente do app que uso, há um cronometro para cada peito que podem funcionar simultaneamente – em caso de amamentação simultânea de gêmeos, por exemplo. É preciso salvar.

Existe também um aplicativo para amamentação da Pais & Filhos, com uma tela para cada mama:

20130619-122743.jpg

Cronômetro não invalida a livre demanda, como diz um dos textos do guia prático do aplicativo Aleitamento. Ele é um suporte para entender as necessidades e o comportamento do bebê. Como também ajuda a mãe a lembrar em qual seio amamentou da última vez ou há quanto tempo parou de amamentar – se já segurou o bebê tempo suficiente e pode colocá-lo para dormir, inclusive. Observando o cronograma, notei, por exemplo, que minha filha “almoça” (às vezes tem direito a “sobremesa” – mais um pouquinho de puro leite materno na mama, claro) e faz “sesta” todos os dias, não necessariamente no mesmo horário nem com a mesma duração.

Saiba mais
Não existe uma regra nem tempo determinado para a amamentação, cada bebê tem ritmos e necessidades próprios. Para aliviar a ansiedade das mamães de primeira viagem e entender que tudo flui naturalmente (e que a tendência é melhorar e ficar mais prático), este texto conta um pouco sobre amamentação nos primeiros dias e meses num cronograma. Só não fique apegada, pois não é um modelo, mais um exemplo.
Sobre livre demanda
Textos da Cientista que Virou Mãe sobre amamentação
Quem não se lembra desse comercial com a canção do Chico e do Toquinho?

Utilidades da duchinha

hansgrohe
Quando instalamos a ducha higiênica em casa, não tínhamos total noção da sua grande utilidade. Estamos bastante satisfeitos.

Sabe aquele excesso de cocô do bebê que acidentalmente vaza para a roupinha? Ou que fica na fralda de pano? Você pode eliminá-lo com diaper spray (ducha especial para fraldas de pano) ou com um jato da duchinha higiênica. Ela é bem mais potente que o chuveirinho do banho.

No pós-operatório de parto normal ou natural, com episiotomia ou região do períneo sensível, seu médico poderá indicar o uso da duchinha para higiene íntima em vez do papel higiênico – o que também pode se tornar hábito e prevenir hemorroidas. Deixe do lado uma toalhinha macia para se secar, como se fazia antigamente, quando todos os banheiros tinham bidês.

Se você conseguir espaço para acomodar a banheira do bebê ao lado do WC, a ducha, instalada por perto, pode ajudar a limpar a banheira após o banho, eliminando os resíduos de sabão.

Nossa ducha é um modelo da Hansgrohe, à venda na Soluzione, em São Paulo.

Lavagem (ou eliminação) das fraldas

varal_fraldas_blog

O uso das fraldas laváveis pode ser mais prático do que parece. Só é preciso tomar alguns cuidados na lavagem para evitar decepções e vazamentos.

Eu adorava usar sabão de coco em pó ou barra para lavar minhas roupas delicadas. Para as fraldas, não funciona. É muito gorduroso e pode impermeabilizar o tecido mesmo usado em pouca quantidade. A parte externa das fraldinhas é impermeável, mas a interna deve ser absorvente.

Modo de lavar:
Fraldas – na máquina, com 1/3 da quantidade de sabão recomendada pelo fabricante, com água fria; eu coloco no modo suave, uso sabão líquido infantil e misturo com algumas peças de roupa do bebê; alguns fabricantes recomendam lavar separadamente fraldas de tecido sintético e fraldas de algodão.
Inserts/absorventes – podem ser lavados na máquina ou colocados em balde com água fervente e um pouquinho de bicarbonato de sódio.
Capas anti-vazamento – são as peças mais delicadas e mais simples de lavar; basta enxaguar bem em água pura ou, se tiver manchas, colocar em balde de água fria com um pouco de bicarbonato de sódio; podem ser lavadas na máquina em modo delicado ou dentro de sacos para peças delicadas (ou dentro de uma fronha).

fraldas_maq_blog

Antes de colocar na máquina, descarte os resíduos sólidos ou excesso de cocô. Você pode deixar um tempo de molho em água pura para facilitar a lavagem e evitar manchas.

Cuide bem das capinhas, pois elas fazem render o uso das fraldas e podem ajudar bastante quando as fraldas (mesmo as de modelo pocket) estiverem com a parte interna impermeabilizadas. Para consertar o interior impermeável, recomenda-se lavar ou enxaguar várias vezes para tirar o resíduo acumulado de sabão. O excesso de sabão pode deixar impregnado mau odor nas peças – inclusive nos discos absorventes de amamentação. Com as dicas da Bettina, da Fralda Bonita, aprendi que para todas as roupas vale a pena usar o mínimo de sabão – é incrível como ficam macias.

Quanto à frequencia de lavagem, depende um pouco da quantidade de fraldas que você tem (para lavar ou trocar). Sempre vale a pena esperar para juntar mais peças antes de ligar a máquina. Se você tiver uma boa quantidade de fraldas ou, pelo menos, de capas e inserts absorventes, fica mais fácil. Aqui em casa, temos dois baldes: um para juntar roupinhas sujas, outro pra deixar de molho as fraldas ou roupas que ficaram manchadas com cocô. Lembre que se troca fraldas de oito a dez vezes por dia, então a lavagem é quase diária ou no máximo a cada dois dias.

Duas formas de adiar ou economizar lavagens: trocar capas e recheios (até sujar a fralda) e deixar o bebê um tempo sem fraldas em casa. A não ser que esteja frio, eles geralmente curtem ficar com a bundinha e pernas de fora. Deixar a pele respirar previne (e trata) assaduras.

Você pode experimentar o método EC – Elimination Communication, da higiene natural do bebê. Observe as expressões do seu bebê. Ele pode parar o que está fazendo e fazer um biquinho com a boca, por exemplo, quando vai fazer xixi. Ao dirigi-lo para o penico, os pais podem fazer um som que incentive a eliminação. Esse não é um treinamento para desfralde nem gera traumas por fazer o desfralde antes do tempo. Seguido desde cedo, a criança nem chega a usar fraldas.

Saiba mais
Assista à matéria do Fantástico sobre bebês que não usam fraldas
ONG Diaper Free Baby
Texto sobre o método EC
Sugestões da Cotton Babies de detergentes para lavagem de fraldas

Moda africana para mamães

waistbeads_MaiyaB

foto: MaiyaB

Uma amiga me trouxe do Senegal um presente muito especial quando eu estava no começo da gravidez: um cinto de miçangas para proteger a barriga. Meu conjunto é de cinco tirinhas elásticas com contas coloridas combinadas com pecinhas douradas. Na África é um sucesso e quanto mais camadas de cordões na cintura, melhor.

A região do ventre feminino é muito delicada e interfere em sua estrutura física e emocional como um todo. Acima do umbigo, fica o plexo solar. No baixo ventre, o chacra sacro, ligado aos ovários. Os orientais consideram este chacra, também conhecido como chacra sexual, como “um dos principais centros de força do campo energético”.

Essa jóia africana é geralmente usada abaixo do umbigo. Portanto acredita-se que protege a mulher, ajudando a engravidar e, no pós-parto, a recuperar a auto-confiança. Com o barrigão empinado, pode ser usada como cinto para destacar a barriga, ajustando as roupas largas abaixo do peito. Originalmente, é usada abaixo da roupa, em contato com a pele, como um amuleto e como moda íntima, sensual, para exibir ao marido e despertar a sexualidade.

Uma sugestão de presente para o Dia dos Namorados…

Leia mais
Sobre essa jóia tradicional africana

Intercâmbio de brinquedos


Uma das principais atrações da Virada Sustentável deste ano em São Paulo vão ser as feiras de Troca de Brinquedos, que serão realizadas no dia 8, sábado. Crianças, jovens e adultos levam um brinquedo que não tem mais tanta graça pra eles, mas que pode ser encantador para outra criança. Uma forma de aprender, na prática, os conceitos de comunidade, consumo colaborativo e economia solidária.

O Instituto Alana promove o evento no Parque Villa Lobos, das 10h às 13h, na Tenda do Parquinho da Figueira. No parque, além de outras atividades, haverá uma área de piquenique sábado e domingo, das 11h às 17h. Também lá, no sábado, às 11h, haverá um grupo de contadores de história e, às 15h, uma oficina de histórias com origami, Histórias Dobradas com Origami. A partir das 17h30 de sábado, tem cinema na praça.

20130606-120451.jpg

Projeto Criança e Consumo – Movimento Boa Praça: feira em setembro/2011
foto: Renata Franco

Na Mooca, das 10h às 14h, na Pça Visconde de Souza Fontes, na altura do número 2800 da Av Paes de Barros, a iniciativa faz parte do Movimento Mooca Verde. Fundado por moradores da Mooca, o movimento tem o objetivo de promover o desenvolvimento sustentável do bairro. Além de planejar ciclovias e revitalização de áreas verdes, o Mooca Verde realiza um projeto de educação socioambiental para crianças denominado Galerinha Verde.

20130606-115602.jpg

A Virada Sustentável estará espalhada por São Paulo de 6 a 9 de junho e oferecerá programação para todos os públicos, inclusive crianças e adolescentes, na Viradinha Sustentável. No Parque da Juventude, no sábado, às 12h, haverá uma oficina de construção de brinquedos a partir de materiais recicláveis. Domingo, no MuBE, crianças a partir dos 4 anos e adolescentes poderão resgatar brincadeiras antigas participando do Brincadeiras Primárias. Confira também as atividades no Parque da Água Branca.

Mais informações:
Programação completa
Como foram algumas feiras de trocas de brinquedo no ano passado

Companheira água

water

Mamães e futuras mamães precisam se manter hidratadas. Na gestação, a água previne o inchaço do corpo e é essencial para manter um bom nível de líquido amniótico. Para a amamentação, ajuda na produção de leite. Pelo menos no meu caso, começo a amamentar, e parece que a boca seca!

Assim como minha filha é uma “milk junkie” (gulosinha, viciada em leite materno), criei esse hábito e não consigo largar minha garrafinha d’água tanto em casa como por onde eu andar. Com a garrafa, consigo controlar a quantidade de água que bebo por dia. Na rua ou nas salas de espera, aproveito para abastecê-la em bebedouros ou filtros, evitando o uso de copinhos plásticos que nem sempre vão pra reciclagem e economizando a compra de outras garrafas PET.

squeeze
Minha companheira atual é uma garrafa de 700ml, BPA free (plástico não tóxico) com uma alça fixa na tampa. Assim posso pendurá-la no carrinho ao passear com o bebê (e não a perco por aí). Na sua próxima compra de água, você pode escolher a embalagem que mais lhe agradar e mantê-la para novos abastecimentos. Existem garrafas pequenas de vidro também. Cuidado: o plástico comum, se exposto ao sol ou calor (guardado no porta-luvas do carro ou carregado na bolsa, por exemplo), pode ser prejudicial à saúde.

limao
Quem não tem esse costume pode tornar esse momento mais charmoso e deixar o líquido mais saboroso. Pegue uma jarra de vidro, coloque gelo, fatias de limão (tahiti ou siciliano – ou laranja) e raminhos de hortelã e complete com água. Fatias fininhas de gengibre podem frisar o sabor refrescante. Experimente com água com gás. No verão, uma delícia! Na jarra da foto, coloquei limão e manjericão. Pra acrescentar charme, cubra a jarra com uma redinha de voal ou com uma tampa de crochê.

Você pode substituir “maus” hábitos por este também – pequenas coisas. Em vez de comer um docinho ou coçar uma casquinha de ferida, tome um gole d’água. Pra enganar o sono (até durante a amamentação), mais água. Um vício saudável que te deixará mais leve.

No documentário “Food Matters”, disponível no Netflix, eles ensinam que é preciso limpar as toxinas com água para que o corpo possa absorver as vitaminas. Por isso é importante beber água antes das refeições.

Leia mais
Sobre plástico e calor – um artigo interessante sobre o perigo do Bisfenol A (BPA)