De mãe pra filha

Recentemente, falamos como reformar o carrinho de bebê. Neste mês das mães, vamos falar sobre brinquedos que passam de mãe pra filha: restauração de boneca. Tão legal poder dar vida a uma boneca que estava abandonada e permitir que o(s) filho(s) brinquem com um brinquedo que marcou a sua infância! Meninos também, por que não?

Assim como para arrumar carrinhos de bebê, existem lugares especializados que podem ajudar no restauro. Levar a boneca num “hospital de brinquedo”, entretanto, pode custar um pouco caro e nem sempre arrumam tudo como a gente quer. Vale esclarecer antes de deixar para fazer o serviço. Alguns ajustes podemos fazer em casa. 

Minha amiga Juliana levou sua Bebezinho, da Estrela, para restaurar no Centro Técnica de Brinquedo, em Porto Alegre/RS. Ela já queria encaixar a cabeça da Baby Alive da filha, decidiu aproveitar a viagem para consertar também sua boneca antiga. Só para a bebê de estimação foram “meros” R$ 180 para arrumar seu corpinho. A colocação da cabeça na outra boneca custou R$ 20,00.

A questão é que a “cirurgia plástica” não incluiu um banho na boneca nem mesmo um retoque no seu “batom”, o que faria toda a diferença pra deixá-la com cara de nova. (Eu adoro quando meu computador volta da assistência bem branquinho, o que nem imaginava que fariam… Para uma boneca, a limpeza é o mínimo esperado, não?) O que eles fizeram: trocaram o tecido e o enchimento do corpo. Existia também a possibilidade de aumentarem seus cílios (era dessas bebês que fecham os olhos), mas para isso teriam que trocar os olhos da boneca, que hoje só vendem azuis (além de sair literalmente “o olho da cara”, cerca de R$ 80). A Ju também achou que o corpo ficou um pouco diferente, sobrando um pouco de pano nos braços – nada comprometedor, ela é um pouco perfeccionista e também é artesã.

O que podemos fazer em casa
Para recolocar a cabeça de uma boneca, dessas cabeças de borracha, quando não conseguimos encaixar facilmente, basta aquecê-la. Ela dilata e encaixa no pescoço. Como fazemos para abrir a tampa do pote de geleia! Claro, é preciso tomar alguns cuidados. Você pode tentar de três formas: aquecer a água e molhar a base da cabeça na água morna (e secar antes de recolocar); deixá-la próxima ao fogo (cuidando para não encostar, muito menos os cabelos!); ou tentar aquecer com o secador de cabelo (mais seguro que fogo).

O banho de cabelo (para as bonecas de cabelo comprido – a não ser as de cabelo de lã) pode ser uma grande diversão “mãe e filha”. Para pentear mais fácil, é preciso molhar. Ela também tem direito a shampoo, condicionador e penteado.

Para o corpo e rosto, lá em casa a gente costuma lavar as bebezinhas da minha filha com escova de dentes velha e sabão de coco em barra. Para as bonecas da mamãe, isso pode não ser suficiente. O segredo são aquelas esponjas mágicas branquinhas. Já existe no Brasil uma da 3M que, além de limpar as bonecas tira riscos de giz de cera na parede! Foi assim que a Ju limpou a boneca dela na volta do conserto – e só assim ficou com ares de nova.

O vídeo abaixo mostra como uma menina limpou sua boneca. Ela também usou a esponja mágica, mas de outro fabricante. E se divertiu arrumando o cabelo. Até alisou e refez os cachos.

Alguns endereços de lugares especializados em restauração de bonecas:

Centro Técnica de Brinquedos
Av. Plínio Brasil Milano, 2224 – Higienópolis, Porto Alegre/RS
51 3062-6455

Hospital das Bonecas Brinquedos e Games
R. João Cachoeira, 301 – Itaim Bibi, São Paulo/SP – e vários outros endereços
11 2643-2630 / 11 2642-1800

Pronto Socorro das Bonecas
Turiassu, 2209 – Pompeia, São Paulo/SP
11 3865-6357


Leia também:
Hospitais de Brinquedo: o S.O.S. da Diversão – em Vejinha São Paulo
Bonecas para meninos e meninas
Como reformar o carrinho de bebê

Advertisements

Em uso – pra mamãe

Experimentei novos produtos que estou amando – e podem ser ótimas ideias para presente nesse Dia das Mães!

Pra disfarçar a cara de sono da mamãe, nada como ir para uma praia sem agito fora da temporada, ficar uma semana offline, sem TV. Pode levar crianças e bebês, mas tem que ir dormir junto com elas, bem cedinho. Como não é sempre que isso acontece e mãe dorme pouco, eu, que adoro andar de cara lavada, devo admitir que vale investir numa boa maquiagem. De preferência natural, vegana, fair trade, de insumos orgânicos rastreados, que faça bem pra gente e para o planeta.

Estou usando e recomendo:

  • Corretivo Nutritivo Universal Bioart
    Ilumina a região dos olhos e disfarça olheiras, como efeito de equilíbrio da oleosidade.
    No primeiro uso, achei que demorou para o produto chegar até o pincel aplicador. Mas logo consegui usar, girando a embalagem. Se parece não fazer diferença logo que você aplica, observe na hora de remover. Do nada, revê as olheiras! Acho que funcionou.
    Cor única que se adapta a vários tipos de pele. Quando apliquei, antes de espalhar, pensei que não fosse claro suficiente para desaparecer com as olheiras. Nada disso, deu super certo e iluminou a região dos olhos. Pode ser usado como corretivo no geral para peles claras, para esconder espinhas e como base para fixar a sombra.
    Além da cor universal, que experimentei, há duas outras versões, clara e escura.
    A base do produto é argila. Composto por ingredientes como derivados de olivas, vitamina E, tapioca.
    corretivo
  • Cativa BB Cream
    Fator de proteção 20. Não é apenas um creme protetor que se ajusta à cor da pele como uma base fininha. Elaborado à base de óleos de café verde orgânico, de linhaça, de buriti e de physalis, com ativos minerais, ele ajuda a regular o brilho. Gostei bastante.
    Não tem perfume. Então se for caminhar ou se expor muito ao sol e suar, evite usar (vai lembrar da argila). Para praia e parque, “cara limpa” só com protetor solar ou chapelão mesmo.
    Nos dias mais secos ou frios em São Paulo, notei que ele não funciona como hidratante da pele… Mas como tenho pele mista a oleosa, no geral não costumo sentir falta de hidratante e ele pode ser aplicado diretamente na pele.
    Não chega a esconder manchinhas no rosto, mas é suave e suaviza a pele. Apesar de adaptável para todas as peles, para o meu tom de pele (no final do verão), me empalideceu um pouco, o marido me achou muito branca. Por esses motivos, vale ser usado com um pó ou blush – veja abaixo sobre o pó Bioart.
  • bb-cream

 

  • Pó Facial Nutritivo Bioart
    Geralmente uso sobre o BB Cream, mas pode ser usado sozinho e promove proteção solar natural. Há versões para vários tons de pele, e na versão média puxa para o marrom. Logo que colocado dá um ar bronzeado e esconde a vermelhidão das bochechas. Adorei!
    Composição à base de argila e tapioca.
  • po-facial-mineral-bioart

 

  • Rímel Natural Mineral Bioart
    Sou bastante sensível, principalmente na área dos olhos e gosto de dar volume aos cílios. No quesito sensibilidade, a máscara nutritiva para cílios natural preta da Bioart está aprovadíssima. Não me deu coceira, nem irritou, até esquecia que estava usando. Já volume não deu. Sua escova é mais para alongamento dos fios. Não chega a deixar o olhar “Emília”, com aquele olho de boneca, separadão (que eu não curto e é bem comum acontecer), mas é bem suave. Ou seja, provoca um efeito natural, ideal para o dia a dia. Boa qualidade, ótima fixação, não se desmancha no fim do dia provocando olheiras, é resistente.
    Composto de argila preta certificada, rico em vitamina E.
    Como toda linha de maquiagens da marca, vem com um espelhinho na ponta da escova, bonitinho. Produzem também nos tons marrom e marrom-ruivo.
  • rimel

 

Saiba mais:
Onde encontrar: em lojinhas bacanas como a Capim Eco, em Porto Alegre, em lojas virtuais como Morada da Floresta, Lohas Store, Natue e Beleza do Campo ou nas próprias lojas das marcas Bioart e Cativa Natureza.

Leia também:
Mais produtinhos para a mamãe vestir, usar e relaxar
A vez delas: quando (ou o quanto) permitir o uso de esmaltes ou outros cosméticos para as meninas?

Buster on Tour no Brasil

Ouriços na Cidade (Letônia, 2012, dir. Evalds Lacis, 10') está na Sessão Curtinha 4 do Buster on Tour no Brasil - Cinema Infantil da Terra dos Vikings

Ouriços na Cidade (Letônia, 2012, dir. Evalds Lacis, 10′) está na Sessão Curtinha 4 do festival de cinema infantil Buster on Tour no Brasil – Cinema Infantil da Terra dos Vikings, de 6 de janeiro a 1º de fevereiro de 2016 no CCBB Brasília e no CCBB São Paulo

Estreou semana passada com muito sucesso em Brasília e começa nesta quarta em São Paulo um festival de cinema para crianças que estou orgulhosamente produzindo pela Bergamota Produção e Comunicação, minha empresa. É o Buster on Tour no Brasil – Cinema Infantil da Terra dos Vikings, que traz destaques do festival internacional de cinema infantojuvenil dinamarquês Buster Film Festival e propõe um intercâmbio, incluindo filmes brasileiros. São 40 filmes no total, entre longas, médias e curtas, com recomendação para a faixa etária mais adequada. Convido todos a apreciarem nossas sessões!

Vocês, leitores do Mamãe Sustentável, certamente vão gostar de filmes como OURIÇOS NA CIDADE (Ezi un lielpilseta, 2012), da Letônia, sobre o plano de ouriços muito espertos para recuperar sua floresta, que passa na Sessão Curtinha 4 e é um dos meus preferidos. A Sessão Curtinha é um programa de curtas-metragens que totaliza, em média, 30 minutos para crianças a partir de 3 anos ou de 44 minutos a partir dos 4 anos. A projeção dos filmes da Sessão Curtinha é acompanha de atividades recreativas, incentivando a participação das crianças e a serem críticos e criativos desde pequenos. Falo mais sobre a classificação etária no tumblr da Bergamota, lembrando que temos que respeitar a limitação de cada criança até para respeitar o próximo e não acabar com a diversão de outras crianças, o que vai da consciência e percepção de cada pai ou responsável.

Julieta Zarza recebe o público mirim da Sessão Curtinha com muita animação no CCBB Brasília *foto: Carol Barboza

Julieta Zarza recebe o público mirim da Sessão Curtinha com muita animação no CCBB Brasília *foto: Carol Barboza

Também considero imperdíveis os filmes:

  • BRAM PIMENTINHA (2012), um longa holandês inédito no Brasil muito fofo que questiona os métodos pedagógicos no equivalente ao 1º ano do Ensino Fundamental;
  • o média A BANHEIRA DO BENNY (1971), que, apesar de nada politicamente correto, com restrições, foi criado como uma brincadeira livre, com improvisação de diálogos, valoriza a mente imaginativa das crianças, impressiona no visual artesanal (pintura sobre fotografia) e na trilha sonora maravilhosa de jazz e, ainda mais nas sessões acompanhadas de debate (na abertura em Brasília, tivemos as ilustres presenças do Marcelo Mazzoli, do Unicef, e do Anders Hentze, do Instituto Cultural da Dinamarca), é uma oportunidade de empoderamento da criança;
  • e da sessão BRASILEIRINHOS, com curtas de diversas regiões do Brasil – pois é fundamental nos conhecermos melhor, nos vermos refletidos na tela e até confortante escutarmos nosso sotaque.
Bram Pimentinha (Brammetje Baas, Holanda, 2012, 80') está entre os meus preferidos da programação tão especial do Buster on Tour no Brasil - Cinema Infantil da Terra dos Vikings

Bram Pimentinha (Brammetje Baas, Holanda, 2012, dir. Anna van der Heide, 80′) está entre os meus preferidos da programação tão especial do Buster on Tour no Brasil – Cinema Infantil da Terra dos Vikings

Como é possível organizar tudo isso, mãe de criança pequena que ainda fica em casa? Nós, mães, somos meio mulher-polvo mesmo, querendo abraçar tudo. Minha filha me acompanha em reuniões (não todas) faz tempo, sempre levo uma atividade pra ela ficar entretida. O apoio da família é fundamental. Ficou pela primeira vez 24h sem mamar (aos 2 anos e 8 meses!) no dia da estreia em Brasília e, mesmo assim, continuou mamando na volta (garantia da mãe por perto).

A menina guarani-kaiowá e sua imaginação fértil fazem nos encantam no filme A CORDILHEIRA DE AMORAS II (2015, Jamille Fortunato, 12'), que integra o programa BRASILEIRINHOS no Buster on Tour no Brasil

A menina guarani-kaiowá e sua imaginação fértil nos encantam no filme A Cordilheira de Amoras II (2015, dir. Jamille Fortunato, 12′), que integra o programa BRASILEIRINHOS no Buster on Tour no Brasil

E por aqui, tudo isso graças à nossa equipe – somos aproximadamente 36 pessoas nos bastidores diretamente envolvidos com o projeto (lembrando de todos, tradutores, dubladores, recreadores, designers, curadoria, técnicos, entre outros, não apenas produção), entre São Paulo, Brasília e Dinamarca, sem contar o apoio incrível e a equipe fabulosa do Instituto Cultural da Dinamarca e a estrutura e as equipes do Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo e Centro Cultural Banco do Brasil Brasília, com patrocínio do Banco do Brasil, via lei de incentivo federal do Ministério da Cultura.

 

Saiba mais:
A partir de que idade levar as crianças ao cinema?
Quando foi a sua primeira sessão com seu filho?
Levando o bebê ao museu!

Acompanhe o festival:
Catálogo: bit.ly/busterbrasil
Programação completa no CCBB-DF: bit.ly/busterdf
Programação completa no CCBB-SP: bit.ly/bustersp
Facebook do Instituto Cultural da Dinamarca: https://www.facebook.com/dinacultura/
Site do Centro Cultural Banco do Brasil: http://culturabancodobrasil.com.br/
Facebook do CCBB-DF: https://www.facebook.com/ccbb.brasilia
Facebook do CCBB-SP: https://www.facebook.com/ccbbsp
Tumblr da Bergamota: http://bergamotaproducaoecomunicacao.tumblr.com/
Facebook da Bergamota: https://www.facebook.com/bergamotaproducaoecomunicacao
Instagram da Bergamota: https://www.instagram.com/bergamotaproducaoecomunicacao/

Técnicas para mudar de posição

Pediatras sempre me orientavam alternar as mamas e a posição que a minha filha fosse mamar. Assim evitaria dores, fissuras no bico (principalmente se a pega não estiver correta e forçar sempre a mesma região) e mamas empedradas ou ingurgitadas. Mudando o bebê de lado e de posição, esvazia bem as mamas, retirando o leite de todos os segmentos mamários.

Pois bem, as posições isoladas parecem fáceis. E como mudar o bebê de posição? O bebê vai ganhando peso, ficando comprido, haja braço para fazer tanta manobra. Precisa fazer tanto esforço?

Eu sempre fui muito atrapalhada e fiz excesso de esforço. Algumas técnicas eu usava quando amamentava usando o sling, mas nunca sem ele. E aí a Dora começou a brincar de amamentar as bonecas e me ensinou o óbvio! Sim, ela me ensinou.

Olha só:

Você pode começar a amamentar na posição que prefere de um dos lados. Por exemplo, na posição clássica na mama direita. Bebê mama no peito esquerdo da mãe e está deitado de lado, com os pés para o lado direito da mãe.

brincando de mamar, me ensinou a amamentar com praticidade

mama esquerda, posição clássica

Esvaziou esse lado ou cansou (você sentiu um desconforto no seio ou na postura ou o bebê parou de mamar, por exemplo). Então ofereça a outra mama.

Para mudar de lado, deixe o bebê na mesma posição, só puxe-o para o lado, posicionando a boca dele na outra auréola. Ou seja, não precisa levar a criança e deitá-la de novo. Se estava na posição clássica, agora está na posição invertida para o lado direito. Agora o bebê continua deitado do mesmo lado, mama no peito direito da mãe, mas seus pés continuam do seu lado direito.

Deslizando

Mamando do lado direito, na posição invertida: só “puxar” pro lado

Terminando, eu anotava em que mama parou. (Hoje, tanto faz, só observo se mamou dos dois lados.)

Passou um tempo, e o bebê quis mamar de novo. (Estima-se que esse intervalo seja de 1h30 a 3h do início da última mamada. Nunca maior do que 4h ou 5h, a não ser que seja madrugada e o pequeno esteja dormindo bem. O ideal é observar a criança e oferecer o peito em livre demanda.)

Agora você começa lá onde parou. Pega o caderninho ou aplicativo e continua, digamos, do lado direito. Dessa vez, começa na posição clássica do lado direito (se terminou desse lado, amamentando na posição invertida). Então, seguindo o exemplo, boca do bebê no peito direito, pezinhos para o lado esquerdo da mãe.

Posicionando a boneca

Posicionando a boneca

Depois, só leva a criança gentilmente e sem muito esforço para o outro peito. Então ela mama na posição invertida do lado esquerdo – peito esquerdo da mãe, deitado do mesmo lado, pés ainda à sua esquerda (aproveitando bem o apoio dos braços da poltrona de amamentação). E por aí vai, invertendo sempre.

Posição invertida, mama esquerda

Posição invertida, mama esquerda

Fácil, não?

Quando o bebê cresce, nada de fazer malabarismo com 15kg! Quer mudar de lado e tá grande demais pra posição invertida ou não tem onde apoiar? Senta a criança e pede pra mudar as perninhas para o outro lado, e ela deita e mama de novo, mas na outra mama. Aos 2 anos e 4 meses (agora, na edição deste texto, quase aos dois anos e meio), ela ainda pede para mudar de lado, geralmente mama umas duas vezes em cada peito. Cansada de levantá-la para mudar de posição e mudar de novo (ela é bem comprida), oriento que ela sente (coloque as pernas pra frente e pra fora) e então seguimos em frente.

Mudando de posição sozinha

Mudando de posição sozinha

A Dora me observa escolhendo roupas e sempre pergunta: “Tem botão a roupa minha? Tem botão a blusa minha? Abre?”. Fica muito feliz quando tem, que a bebê dela vai poder mamar.

Quando saímos para fotografar o mamá, ela pensou demais no assunto e pediu para mamar antes de brincar. Justo.

Saiba mais:
Sobre duto bloqueado, ver página 58 do manual da Sociedade Brasileira de Pediatria (em pdf)
Para visualizar melhor as posições de amamentação, uma cartilha
Amamentação no segundo ano
Amamentar no sling
Obstáculos da amamentação
O app que eu usei
Aplicativos para amamentação

Rotina

relógio de Vinil - por Rodrigo Terra / flickr
Nos primeiros dias de horário de verão, estou perdida e atrasada! Aos poucos, tento voltar à rotina da Dora. Espero que ainda esta semana a gente fique em paz com o relógio.

Eu achava estranho os pais que se apegavam muito a essa palavra, rotina. Achava exagero. A Dora passou alguns meses sem fazer longas sonecas, mesmo tendo uma certa rotina de atividades (dormia a noite toda na época). Hoje vejo a rotina como sinônimo de disciplina, organização e espaço, liberdade.

Acompanhem nossa rotina dos 2 anos e 4 meses da Dora até poucos dias:

Dorme na cama dela, vem para a cama do casal no meio da noite – talvez 4h ou 5h da manhã. Por volta das 6h mama (amanhecendo) e volta a dormir. Ao acordar, umas 8h, mama de novo, com preguicinha.

Depois que tomamos um café da manhã reforçado (ela come sozinha enquanto eu preparo meu suco), passeamos. Geralmente, vamos a um parque com pracinha. Ela toma água, se der fome no caminho (ou na volta), come castanhas e passas. Atualmente, ama castanha de caju. Compramos orgânica sem sal. Por volta das 11h pede pra mamar um pouco, nem sempre.

Entre 11h30 e 12h30, almoça. Quanto mais cedo, melhor come.

Logo que acorda ou esperando o almoço, fica animada para atividades artísticas, pintar, modelar, desenhar. Sempre é hora de escutar música e dançar ou ler livros.

A partir das 13h30, mama (leitinho materno de sobremesa) e dorme.

Normalmente dorme 50 minutos a 1h e pede pra mamar. Segue dormindo no colo mais 30-90 minutos de sono leve. Boa hora pra sentar na frente do computador e trabalhar um pouco. Às vezes faz uma soneca de 2h direto, geralmente pede pra mamar ao acordar quando é assim. Também faz soneca passeando de carrinho – pelo mesmo tempo (às vezes direto, outras vem pro colo e dorme mais, ou um pouco de mamá e cama). Quanto mais cedo faz a soneca, mais rende o dia – se gastar bastante energia de manhã, fica mais fácil.

O lanche da tarde costuma ser por volta das 15h30, depende um pouco da hora do sono.

Às vezes dá tempo de ir de novo pra pracinha à tarde também. Num dia ideal, seria assim. Geralmente saímos pela manhã e pela tarde.

O banho pode ser na volta da pracinha ou no fim do dia. Se atrasamos muito, é depois da janta, o que evitamos, para não dormir de cabelo molhado.

Janta cedo, a partir das 18h. Às vezes depois das 20h. Pelo menos uma vez por semana, até mais cedo, umas 17h30.

Dorme entre 20h30 e 21h30 idealmente. Nos dias mais agitados ou fora da rotina, pega no sono só perto das 22h. Lemos uma história (ou até cinco ou várias vezes) pra ela dormir. O papai adora assistir um desenho de 5 a 10 minutos antes de dormir – como ela chora pedindo mais ou chama a mamãe pra ler história, são raras essas noites. Não mama mais para dormir à noite, mas muitas vezes pede pra mamar antes de escovar os dentes.

Quando seguimos essa rotina, tudo flui, até sobra mais tempo pra gente. Difícil ter birra. Não fazendo a soneca ou mesmo com soneca menor que o habitual (menos de 1h ou depois de dias consecutivos dormindo pouco), já teve terror noturno, um pesadelo para os pais. Dormindo bem durante o dia, dorme bem à noite.

Ah, o relógio no meu pulso sempre ajuda. Quanto mais cedo forem as refeições, melhor se alimenta. E quanto mais cedo fizer a soneca da tarde (brincar na pracinha no sol da manhã colabora pra que isso seja possível), dorme mais cedo e é melhor sua qualidade do sono.

O que vocês me sugerem para não sofrermos com a mudança de horário? O que muda na rotina de vocês?

Leia mais:
Como identificar o choro do bebê de 0 a 29 meses – pode ser sono

foto: Relógio de Vinil, por Rodrigo Terra / flickr

Sebastião

Sebastiao
Não existe felicidade maior para quem escreve do que ter retorno de um leitor. No meu caso, ainda mais feliz ao ter recebido o contato da mamãe sustentável Luciana Portella, de Santa Maria/RS, que acompanha o blog desde o começo da gravidez e decidiu utilizar fraldas de pano no seu filho. Quando estava com 28 semanas, ela me mandou um e-mail para tirar algumas dúvidas. Recentemente, me escreveu de novo.

sebastiao1

Sebastião já está com 4 meses. E vejam que corajosa: em pleno inverno gaúcho, que, além de frio, é úmido, ela encarou usar fraldas de pano direto. Antes disso, o pitoco tinha 10 fraldas de pano modernas – então, até lavar e secar (lembrando que com umidade no ar, demora mais; nos primeiros meses, se troca mais seguido), era pouco. “Agora comprei mais. Está sendo ótimo, elas são gostosas e lindas”, me contou Luciana.

Sebastião

Sebastião em suas fraldinhas lindas e ecológicas

Ele está usando principalmente fraldas Dipano. Segundo sua mamãe, “são bem boas, parecem durar bastante”. Como todas, o único cuidado é com a impermeabilização. “Mas sempre faço um enxágüe extra e uso pouco sabão”, aconselha. Eles também gostaram bastante da Nós e o Davi. Das biodegradáveis, usaram no começo bastante as Wiona: “Muito boas, só são meio caras, mas achei bem melhor que as comuns da Pampers que experimentei junto”.

Luciana, esqueci de comentar. Se notar que impermeabilizou, não precisa esperar lavar mais uma vez. Usa assim mesmo, mas com um absorvente de algodão por cima (não dentro do bolso). Funciona superbem. Mesmo com uma fraldinha de pano Cremer bem dobradinha como absorvente. Depois lava de novo com pouco sabão!

LUCIANA

Mamãe Luciana

Quando a consultei para compartilhar a experiência dela com vocês, Luciana não hesitou. “O efeito que causa nas pessoas quando vêem as fraldas vale tanto quanto a economia de recursos que elas proporcionam.” Já podemos ver que ela está se saindo muito bem como mãe, mamãe sustentável e corajosa. Nas palavras dela, “a maternidade é uma vivência única, cheia de novas experiências”.

 

Saiba mais:
O que motivou este blog
Meus 5 motivos para usar fralda de pano
Um guia bem bacana pra quem tá começando

Mobilidade em SP

IMG_0520-1.PNG
Esta semana começou muito bem – e não podia terminá-la sem dividir a experiência com vocês. Na terça-feira, 3 de março, foi inaugurada uma nova travessia para pedestres num dos principais cruzamentos de São Paulo, na Consolação com a Caio Prado (pertinho daquele projeto de parque, o Parque Augusta, que infelizmente tem cada vez menos chances de ser público e real). É uma faixa diagonal para pedestres! Até uma semana atrás, quando passávamos por ali, tínhamos que esperar pelo menos dois demorados sinais para atravessar todo o caminho. Agora podemos ir seguros de uma vez só.

Na segunda-feira, ainda em fase de teste, tive o privilégio de atravessá-la com carrinho de bebê. Um rapaz da CET nos acompanhou no trajeto para garantir que a faixa de pedestre era oficial e segura. Adorei! Espero que siga funcionando bem e que mais cruzamentos assim sejam feitos pela cidade, respeitando o pedestre.

A iniciativa integra o projeto Centro Aberto e segue o modelo de cruzamentos para pedestres em Tóquio, no Japão. Há um “X” pintado de azul com as faixas brancas entre as esquinas com guias rebaixadas. As rampas para caldeirantes nas faixas antigas de pedestre deste cruzamento também foram ampliadas, assim como os sinais ficaram mais longos e sincronizados!

Agora está ainda melhor andar de carrinho por Higienópolis! Adoraria ver uma faixa dessas na Av. Angélica, em frente à Praça Buenos Aires.

Mais informações:
Sobre a faixa
Sobre o projeto Centro Aberto
Transporte público com bebê em SP
Manual de convivência com bebês

Lembrancinha: esfoliantes

esfoliantes
Uma boa ideia de lembrancinha para um chá de bebê (ou “chá de fraldas”) é presentear a mulherada com um esfoliante feito por você. Eu fiz potinhos de esfoliante orgânico para os pés para as mulheres da família no último Natal. Testei antes e adorei, pois é uma receita simples, que também hidrata. Perfeita para o verão.

Para embalar, usei:
– potinhos de vidro pequenos de papinhas do meu sobrinho;
– retalhos de tecido que tinha em casa para cobrir a tampa;
– fita barbante para amarrar;
– etiqueta para identificar e deixar um recadinho.

Ingredientes:
– 3 xícaras de açúcar;
– 1 xícara e 2 colheres (sopa) de óleo de boa qualidade;
– 10 gotas de óleo essencial bem cheiroso.

Usei um açúcar cristal orgânico, o azeite de oliva Andorinha orgânico e o óleo essencial de hortelã mentha arvensis (ou hortelã-pimenta) da Herbia. Basta misturar todos os ingredientes e colocar nos potinhos. Não precisa guardar na geladeira, a não ser que você não consiga fechar bem a tampa e tenha muitas formigas em casa.

É uma receita segura para gestantes, por isso é legal como lembrancinha para o chá. Ou, a quem interessar, pode ser um projeto de brinde para o Dia das Mães! Se o barrigão não permitir alcançar o calcanhar, peça ajuda para alguém massagear seus pés.

Mais esfoliantes
Aprovado o esfoliante para os pés, experimente outros esfoliantes caseiros e naturais! O rosto é sempre mais delicado, por isso o peeling pode ser feito apenas uma vez por semana.

Pronto para o rosto
Se não quiser arriscar, o melhor e mais natural esfoliante para o rosto (industrializado) que testei foi o da Surya Brasil, da linha Sapien Women – a cor de argila pode assustar a quem não está acostumado com cosméticos naturais, mas o cheiro é incrível.

Sem desperdício
Você pode aproveitar um shampoo infantil que não esteja usando no seu bebê e lavar o rosto com ele e uma pequena quantidade de borra de café para fazer a esfoliação semanal.

Para o rosto e corpo
Essa receita não testei, mas é indicada para o rosto e corpo – só não é vegana: fazer uma mistura homogênea com farinha de milho (fubá) e mel, aplicar nas partes onde quer esfoliar. Pode ser com mel e açúcar. Recomenda-se lavar antes o rosto com água morna para abrir os poros. Depois, enxaguar com água fria para fechar.

Saiba mais:
Sementes de lembrancinha
Para as mamães relaxarem
Os rótulos dos cosméticos
Shampoo da cabeça aos pés

Experimentei: absorventes biodegradáveis e o tal copinho

natracare brasil

Amamentar é tão sustentável que prolonga o tempo sem menstruar. Minha menstruação só voltou aos quase 1 ano e 2 meses da minha filha, que sigo amamentando. Ou seja, mais de um ano após o período de sangramento do puerpério e, o mais interessante, uns 10 dias depois da feira de sustentabilidade.

Posso afirmar que meu corpo aguardou a Natracare Brasil estar pronta para o lançamento comercial para voltar a sangrar. Saber que já existem absorventes biodegradáveis no Brasil é uma tranquilidade. São vários modelos que estão sendo lançados aqui, mesmo para proteção diária – para todo tipo de calcinha.

Fiquei impressionada com a capacidade de absorção do modelo superfino, que pude experimentar nos primeiros dias, de grande fluxo. Há também noturnos, perfeitos para o pós-parto. E, se sua obstetra liberar, os protetores diários podem ser usados em caso de corrimento no final da gestação. (Pelo menos em situações especiais, se estiver com um corrimento freqüente e precise ir a um evento, por exemplo. Não é recomendado o uso de protetores diários na gravidez para evitar abafar a região, para que não fique propensa à proliferação de fungos ou bactérias.)

A cobertura, no entanto, não é a que estamos acostumadas (“seca” ou “suave”). Eu não curto (e me dá alergia) a cobertura plastificada dos modelos “sempre seca”, prefiro o toque macio do algodão. A Natracare segue um caminho do meio: tem uma cobertura superabsorvente, com trama de algodão, nada plástica, que lembra a cada externa dos absorventes tipo “sempre seca”, só que com toque suave.

Seus absorventes femininos são fabricados a partir de algodão 100% orgânico certificado, são livres de cloro, de materiais sintéticos, de plástico, de látex ou de fragrâncias. Além da questão ecológica, os produtos orgânicos e naturais beneficiam a saúde e o bem-estar da mulher. Os materiais sintéticos, os aditivos químicos ou o branqueamento com cloro nos produtos íntimos podem provocar alergias, irritação ou coceiras, candidíase e até mesmo prolongar o tempo ou aumentar o volume do sangramento.

Há quem defenda que o tradicional O.B., que seria apenas um tampão de algodão, seja degradável. Mas testes comprovam que não são tão seguros assim para o corpo feminino, até porque não são puro algodão. O produto da Natracare não solta fibras no corpo da mulher. E o que também é legal: vem embalado em plástico biodegradável, que você pode descartar no lixo comum sem culpa.

coletor menstrual

Coletor menstrual
Preocupada em gerar ainda menos lixo, passei a usar nos últimos meses o Inciclo, a experiência mais sustentável em absorventes que já tive. É um absorvente interno em forma de copo, feito de silicone médico. Prático, lavável com água e sabão, reutilizável e durável.

Não pode ser usado no puerpério. Existem dois tamanhos, A e B, um deles um pouco maior, para mulheres acima dos 30 anos e/ou que passaram pela experiência do parto (mesmo que não tenha sido natural). Uso esse maior. Realmente a menstruação mudou depois do parto, agora parece vir bem mais volume em menos dias.

Não sei se pela minha experiência com absorventes internos descartáveis, minha inexperiência ou com a pressa para colocar – é muita dificuldade se esconder da minha filha, já que passo o dia com ela, e o banheiro geralmente fica de porta aberta -, muitas vezes vaza bem pouquinho na calcinha. Dizem que pode cortar ou lixar o cabinho, que me incomoda nos primeiros dias de ciclo (depois acostumo). Ainda não consegui usar somente este tipo de absorvente, muitas vezes prefiro usar o noturno lavável pois não curto dormir todas as noites com absorvente interno.

A vantagem do coletor é que, além de ser inserido não muito profundamente, é feito de silicone medicinal hipoalergênico. Entretanto, todo o absorvente interno, independente do material, por ser inserido no corpo da mulher e lá permanecer um período, pode provocar infecções. Por isso, deve-se cuidar da higiene e, ao final de cada ciclo, recomenda-se esterilizar em água fervente. Apesar de tudo, totalmente aprovado e recomendado!

Uma forma de evitar o uso de absorventes é “cortar o mal pela raiz”, evitando a menstruação com o uso de anticoncepcionais. O que não é natural – nem natural ao corpo, nem sua composição é natural. Não se pode negar que pára o sangramento e que não trazem bactérias. Mas essa é outra discussão e seria mais indicado conversar com uma ginecologista.

Outras opções ecológicas:
– absorventes de tecido laváveis;
– absorventes de tecido para fazer em casa.

Saiba mais:
Tira dúvidas sobre o coletor menstrual
– Nossa promoção com a loja Enquanto Eles Dormem, que vende o Inciclo.

Presente de Natal: promoção

produtos da Enquanto Eles Dormem

1. contournos; 2. sabonete 100% natural e vegetal; 3. repelente natural; 4. cinco marias; 5. cesta de piquenique; 6. almofadinha infantil

Meu presente de Natal este ano para os leitores do Blog da Mamãe Sustentável é uma parceria com a loja Enquanto Eles Dormem. O nome  já denuncia que é uma loja virtual de mãe, certo? É também uma lojinha muito responsável, com produtos ecológicos. Enquanto seus filhos dormem, a Eduarda sonha com um mundo diferente e tenta tornar seu sonho real: “um mundo mais bonito, mais limpo e mais justo e um lugar de mais amor”.

Recomendo dar uma olhada em tudo. Há várias linhas de fraldas de pano modernas, ela inclusive destaca os modelos para praia e piscina. Vende também os contournos, que é um absorvente para fraldas capa que pode ser usado sozinho (a Dora demorou a experimentar esse modelo, devo uma resenha!). Há produtos orgânicos e naturais – estou curiosa por esse repelente para crianças! Há coisinhas para as mães (e pais). Roupas descoladas. Brinquedos que resgatam um brincar autêntico, como cinco marias, cesta de piquenique… Além de acessórios bacanas, como almofadinhas relaxantes para o pescoço do bebê.

Nosso presente é 10% de desconto para as compras com o código mamaesus. Não percam! A promoção vai até o dia 25/12.

cupom na loja enquantoelesdormem.com.br - mamaesus

E mais: só até hoje, 10% de desconto nas compras acima de R$ 100 no brechozinho da Mamãe Sustentável no Ficou Pequeno.