Muitos brindes!

20131223-192818.jpg

Ano passado, gestante, brindei o Ano Novo com taça de espumante recheada de água com gás. Este ano estou amamentando e não vou tomar bebida alcoólica pelos mesmos motivos, mas quero ser mais criativa. Hoje, meu “vinho tinto” é suco de uva, o “branco” é o suco de maçã (mas poderia ser de uva branca, uva branca com coco ou de lichia) e meu “vinho rosé” é o suco de cranberry com kiwi – todos integrais, sem adição de açúcar ou corantes e preferencialmente orgânicos. Esses são prontos, fáceis de encontrar para o dia-a-dia. Ocasiões especiais merecem drinks feitos na hora.

Já havia comentado aqui, aqui e aqui sobre bebidas para mamães. Reuni agora algumas receitas para gestantes, mamães e (por que não?) adolescentes – para festas de 15 anos, de repente. Diferente de receitas clássicas de coquetel sem álcool, evito adicionar refrigerantes, leite condensado (pois é), creme de leite, leite, café, groselha, como também evito açúcar refinado, adoçantes em geral. Você pode usar açúcar cristal orgânico ou demerara ou adoçar com mapple syrup orgânico ou agave se necessário.

Veja as receitas que selecionei para as festas este ano:

Clericot sem álcool
Ingredientes:
1 pêssego bem picadinho
1 laranja média cortada
2 maçãs
1 xícara ou 1/4 de abacaxi em cubos
3 xícaras de água com gás
1 1/2 xícara de suco de uva branca integral
Gelo

Modo de Preparo:
Misture todos os ingredientes numa jarra média

* Receita adaptada da Fruit Sangria da Spicie Foodie.

Aqui em Porto Alegre, onde passo as festas de fim de ano, não encontro suco integral de maçã, apenas de uva com a mesma textura. O clericot pode ser feito com suco de uva branca, suco de maçã ou espumante não-alcoólico – a vantagem de fazer com suco é não acrescentar açúcar. O espumante sem álcool que encontrei no mercado é feito com os dois sucos, maçã e uva branca, mas tem adição de açúcar. Quem fizer com suco de maçã pode substituir as maçãs dos ingredientes por melão (2 fatias em cubos) ou uva. As frutas podem variar a seu gosto – uma das melhores sangrias que tomei (certamente a mais alcoólica também) foi num restaurante gringo vegetariano no meio do Pelourinho, em Salvador, na Bahia, e levava até melancia, que eu adoro.

Drinque de Melancia
Ingredientes:
1 kg de melancia
2 limões
2 maçãs
500 ml de água com gás
Açúcar a gosto (dispensável)
Hortelã para decorar

Modo de Preparo:
Liquidifique a melancia e adicione o suco dos limões e a maçã picada, bata e coloque cubos de gelo. O ideal é tomar bem gelado. Decore com folhas de hortelã.

* Conhecia uma receita parecida de uma padaria de São Paulo que chamava de “suco verão”, que só não levava água com gás, mas esta aqui é da Keila Cristiuma, diretora da Sempre Materna

Mojito sem álcool
Ingredientes (para render 1 copo):
8 folhas de hortelã
½ limão
Bastante Gelo
Água com gás
Açúcar orgânico a gosto

Modo de preparo:
Coloque em um copo “long drink” o limão, a hortelã e o açúcar. Macere até extrair o caldo do limão, como para um mojito normal. Acrescente o gelo e coloque a água gaseificada até completar o copo, depois é só mexer com uma colher. Capriche na hortelã e no gelo para refrescar.

* Esta também é da Keila. Eu deixaria ainda mais refrescante e picante com lascas de gengibre.

Saiba por que evitar:
*Refrigerantes aumentam a tendência para formação de gases e causam desconforto na região abdominal nas gestantes, podem provocar cólicas nos bebês e a cafeína do guaraná e das colas pode acelerar o coração do feto e deixar o bebê agitado ou com cólica.
*Creme de leite e leite condensado devem ser evitados pela nutriz não por serem calóricos ou gordurosos, mas principalmente em casos de mães com bebês com suspeita de refluxo ou que regurgitam muito, em função da alergia ao leite de vaca pelo intestino imaturo dos bebês (que receberia tudo pela amamentação) – nesse caso, as versões light, desnatadas e sem lactose não adiantam.

Advertisements

Lavagens especiais

DSC04873

Algumas roupinhas dos bebês merecem cuidado especial. Principalmente as de tecido orgânico. Afinal, de nada adianta usar algodão orgânico se ele ficar impregnado de produtos químicos após lavado. E antes da chegada do bebê, suas roupinhas (e todo enxoval, kit berço, toalhas, lençóis, fraldas) já devem ser lavadas com sabão neutro sem uso de amaciante (nem mesmo amaciante “infantil”).

Pode lavar quase tudo junto, exceto algumas peças especiais. Não misturo:
– toalhas e paninhos atoalhados;
– roupas de algodão orgânico;
– roupas muito coloridas ou escuras (que podem manchar – de muitas continua saindo tinta após a primeira lavagem).

É importante usar um sabão natural ou orgânico para as roupas de tecido orgânico. Dê preferência sabão de glicerina em pequena quantidade. Se possível, faça um segundo enxágue para evitar que o sabão impregne no tecido. Apenas assim o tecido continuará evitando alergias e respeitando a sensibilidade do bebê.

Fora isso, misturo tudo. Mesmo as fraldas de pano. Sendo que as fraldas de boca, de ombro, as tradicionais e alguns babeiros só são usados depois de passados a ferro.

Prefiro lavar com água fria. Precisei lavar uma vez a toalha de banho de algodão orgânico da Dora em água fervente (porque estava com princípio de mofo, ficou muito tempo num balde molhado), e ela sobreviveu, mas as recomendações da marca era usar no máximo água morna. Cuidado se sua máquina for moderna e tiver um programa de lavagem “bebê”: geralmente esse modo é com água quente, que pode distorcer fibras sintéticas e derreter borrachas de mordedores, caso você lave algum brinquedo.

Outra dica é comprar um balde exclusivo para as roupas do bebê. Nós usamos dois baldes para a Dora e às vezes o ofurô quebra um galho como terceiro. Na casa da vovó também tem um balde só pra ela.

Saiba mais:
Algumas dicas sobre lavagem e por que uso um óleo essencial no enxágue
Dicas sobre lavagem das fraldas de pano
Outras dicas sobre lavagem de tecidos orgânicos ou especiais

Pacotes de presente

20131211-053731.jpg

Já repararam no excesso de embalagem em quase tudo que consumimos? E nos pacotes de presente? Um exemplo bem comum: o produto vem embalado numa caixa, que por sua vez está lacrada com uma embalagem plástica; ganha um saquinho de presente cheio de enfeites, que é levado dentro de uma sacola. Não precisa de tanta coisa para o pacote ficar bonito!

Trago três sugestões de pacotes de presente para este Natal:


1. Papel pardo (kraft)

20131211-054212.jpg
Essa embalagem é boa de fazer com criança ou para bebês. A criança pode desenhar sobre o papel. Os bebês vão adorar abrir e rasgar o pacote. Vejam como pode ficar elegante. Eu adoro colecionar fitas mimosa ou pedaços de fita. Apenas uma fita bem colorida e bem amarrada, com um laço bonito é o suficiente para deixar o presente lindo e chique. Ou uma folhinha pra decorar.

O papel pardo ou kraft natural é vendido em rolo. Atualmente, um rolo de 80g, com 60cm de comprimento, com 150m, custa uns R$ 40,00.


2. Sacola de papel pardo (kraft)

20131211-054513.jpg

Não precisa de um pacote de presente dentro da sacola, ela já é a embalagem. Para finalizar e fechar, você pode usar um prendedor de roupa de madeira, que você mesmo pode decorar. Você pode prender um cartãozinho de Feliz Natal com o prendedor, que terá vários usos depois: prender pacotes de alimentos, pendurar desenhos num varal ou mural vivo, deixar a criança usar a criatividade.

Fácil de encontrar. Cada unidade do tamanho médio (tipo A4) na papelaria do bairro custa R$ 2,00.

Me inspirei em uma loja de produtos infantis do Itaim, em São Paulo, onde minha irmã adora comprar presentes para a Dora. Eles ainda usam um pacote plástico da loja, que eu acho totalmente desnecessário, porque fecham com um prendedor lindo decorado e colocam numa sacola de papel.


3. Tecido

20131211-054311.jpg

Essa técnica de dobradura de tecido para fazer um pacote de presente é chamada de furoshiki. É quase um origami, não precisa de costura e é bem simples de fazer. Na minha opinião, é a embalagem mais sustentável, porque não gera lixo – pode ser reaproveitada inúmeras vezes. Se o presenteado não quiser embalar outros presentes assim, pode usar a criatividade para usar o pedaço de pano. A relação custo-benefício não é questionável.

Para a maioria dos presentes, o tamanho médio deve ser um tecido de aproximadamente 60 x 70cm. Ou seja, dependendo do comprimento da peça (que costuma ser perto de 1,40m), você leva pouco mais de meio metro (o mínimo que as grandes lojas de tecido costumam vender) e já embala dois presentes. Se escolher um tecido nacional 100% algodão em saldo, cada pacote te custará até menos do que qualquer sacolinha de papel e ficará bem mais elegante.

Em São Paulo, tenho duas lojas preferidas de tecidos. A Fernando Maluhy é um grande fabricante e revendedor de tecidos de algodão – de onde você vê a maioria das estampas das feirinhas de artesanato. Abre só durante a semana, são bem organizados e ocupam dois andares do topo de um prédio da 25 de março, com entrada pela Basílio Jafet, numa esquina quase em frente da Ladeira Porto Geral (bem pertinho da saída do metrô, no quarteirão dos tecidos). A Center Fabril abre aos sábados, tem variedade de tecidos (assim você não precisa ir na 25 e no Bom Retiro para comprar), preço bom e são bem atenciosos. Fica embaixo do Minhocão, pouco antes do túnel que vai para Pompeia (sentido Centro-bairro).

Vou aderir a essa técnica em grande parte dos presentes deste Natal. Veja como fazer neste link ou com este vídeo:

Por que usar tecidos ecológicos?

20131211-053241.jpg

touca orgânica da Green is Great

Nosso cotidiano está “contaminado” de produtos químicos: o ar que respiramos, os alimentos, água, cosméticos… Há toxinas da cabeça aos pés, no ambiente em que vivemos. Quanto mais conseguirmos reduzir o uso desses químicos, optando por produtos mais naturais, alimentos orgânicos, mais saúde poderemos ter.

Escolhendo o enxoval orgânico para os bebês, proporcionamos aos pequenos um ambiente mais natural, sem componentes químicos que podem causar alergias. Pelo efeito cumulativo dessas toxinas, há até possibilidade de desenvolvimento de algumas doenças ao longos dos anos. É uma forma de cercar de carinho e segurança essas crianças.

20131211-053359.jpg20131211-053255.jpg

O processo de produção do algodão orgânico respeita o meio-ambiente em todas as etapas, desde a plantação até a fabricação do tecido. Na plantação não se usa adubos nem fertilizantes químicos tóxicos e a água é usada racionalmente (sem desperdício). Na fabricação do fio e do tecido há o cuidado com resíduos e a água também. Os trabalhadores em todo o processo têm seus direitos respeitados, sob o acordo do “Comércio Justo” (não há trabalho escravo, nem infantil e as condições de trabalho não podem ser ruins para os trabalhadores). E apoiando o comércio de produtos sem agrotóxicos, estamos colaborando com um processo que prioriza a saúde em toda a cadeia produtiva, como já comentamos anteriormente no blog.

20131211-053307.jpg

saco de dormir de tecido reciclado

Tecidos reciclados – Além do algodão orgânico, há tecidos feitos de fio proveniente da reciclagem, como os famosos “feitos de garrafa PET”. São ecológicos por (1) diminuírem a pressão sobre a matéria-prima original (algodão, petróleo, bambu, etc), já que reaproveita material já fabricado, e (2) reduzirem a quantidade de lixo existente, ou seja, em vez de amontoar no lixo, as garrafas, os restos de tecidos e outros materiais, são recicladas e viram tecido novamente. No caso dos tecidos a partir da reciclagem de outros tecidos, a produção não tem consumo (ou muito pouco) de água, é livre de tingimento, não produz resíduos tóxicos e reduz o volume de lixo no ambiente – nesse processo, o tecido original é selecionado, limpo e desfeito e reaproveitado.

Aproveite para concorrer a um conjunto de babeiro e protetor de punho de material orgânico para manter o ambiente natural na hora da papinha. Inscrições até 22/12.

Post feito em colaboração da bióloga Beatriz Kats, fundadora da Green is Great

Os rótulos dos cosméticos

20131209-150850.jpg

Vivemos num mundo contaminado e viciado. Quase não sabemos do que são compostos os produtos que consumimos. Se quando gestantes já nos é passada uma lista de contra-indicações, como mães o cuidado deve ser redobrado – em relação ao bebê, sem dúvida, e em relação a nós mesmos, mães e pais.

Pele de bebê é muito sensível e merece produtos delicados. Nariz de bebê também – mãe, pai, cuidadores e visitas devem escolher bem ou evitar os perfumes que usam. Não apenas a nutriz, mãe que amamenta, deve cuidar o que ingere ou mesmo o que passa na pele. Os bebês percebem o mundo pelo tato e pelo paladar – na fase oral vai quase tudo à boca. Os bebês lambem suas mamães!

Este ano a polêmica dos testes com animais ganhou destaque na grande mídia após a invasão de ativistas ao Instituto Royal em São Roque, em São Paulo, em outubro. A questão não só é se o produto é testado em animais, mas se tem ingredientes de origem animal. As lactantes que estão cortando o leite de sua dieta em função do bebê devem cuidar, por exemplo, se seus cremes e hidratantes corporais não contêm leite.

Este guia feito pelo blog Lookaholic é muito legal e tem até modelos de textos para perguntar aos serviços de atendimento ao consumidor se o produto é vegano. Pode facilmente ser adaptado e usado também para questionar sobre a indicação para gestantes, alérgicos, crianças ou bebês ou, ainda, sob o aspecto ecológico. O produto é degradável? Em quanto tempo se decompõe? A embalagem é reciclada ou reciclável? Existe uma forma de reaproveitar sua embalagem, comprando apenas o refil?

Vale a pena dedicar alguns minutos para assistir a esse pequeno e bastante esclarecedor vídeo. E é essencial dedicar alguns minutos para ler os rótulos com atenção antes de comprar. Existem letras mais miúdas e ilegíveis que das bulas de remédio, mas que também merecem nossa atenção: são os rótulos dos esmaltes. Por isso sou fã de lojas como a Unha Bela, que etiqueta seus produtos online.

Sorteio de Natal

sorteio_natal_comlogo
Quando escrevi sobre como babeiro é essencial no enxoval do bebê, ainda não conhecia a Green is Great. O site da loja entrou no ar há pouco mais de duas semanas, mas a Bia faz enxovais ecológicos desde 2009, preocupada com o meio ambiente e o futuro de seus filhos. Como boa bióloga, estampa a típica fauna brasileira em suas peças.

20131208-001710.jpg

babeiro da Green is Great

Vamos sortear um conjunto de babeiro e protetor de punho da Green is Great no próximo dia 23. O protetor é uma munhequeira de 10cm feita em ribana orgânica para cobrir a manga das roupinhas – dessa forma não precisa trocar e lavar o blusão quando encostar acidentalmente na comida (imagina no inverno, pena da roupa e do bebê ter que trocar por qualquer sujeirinha – assim pode dar papinha de beterraba sem medo). Os babeiros estampados da Green is Great são em cor natural ou marrom, de quati, preguiça, tucano ou boto, bem educativos.

20131208-001656.jpg

par de protetores de punho

A inscrição pode ser feita neste link. Participem e nos digam quais são os produtos ecológicos que não podem faltar no enxoval do seu bebê. Aproveitem para conhecer melhor a loja e fiquem atentos às novidades nas fanpages do Blog da Mamãe Sustentável e da Green is Great.

Natal solidário

20131206-112243.jpg

Foto: Paulo Henrique / Correios – Brasília

Neste Natal, deixe-se abraçar pelas campanhas solidárias para deixar tantas pessoas felizes. Nessa época em que todos são contagiados pela “magia natalina”, é uma ótima oportunidade para participar de um projeto social e se inspirar para um novo ano mais harmonioso e sustentável. Você pode reunir os amigos e familiares para fazer doações a entidades ou comunidades carentes ou procurar campanhas para contribuir.

Que tal experimentar ser Papai Noel e adotar um sonho? O tema do Papai Noel dos Correios 2013 são origamis – tirar sonhos do papel. É emocionante ver a quantidade de cartas recebidas e escritas com tanto carinho e capricho. Cada desenho lindo e colorido! Claro que há muitos pedidos de bicicleta, skate, tablet e brinquedos da moda… E crianças que pedem ajuda para um irmão ou primo.

Conheci o projeto em 2009, quando os Correios ainda deixavam você levar a cartinha adotada para fazer as compras e recebiam os presentes até quase a véspera do Natal. Agora estão mais organizados, escolas e instituições também participam – incentivando a redação das crianças -, as cartas não saem da agência depois que você se compromete a realizar aquele sonho e deve entregar o pacote dez dias antes. Cada estado tem seu cronograma, mas no geral estão aceitando apenas até o dia 13 de dezembro. Veja neste link as datas e as agências participantes na sua cidade. Há agências participantes (da lista do link) onde você pode ler e escolher cartas, mas algumas outras também recebem as encomendas do Papai Noel – mais seguro verificar o cronograma.

20131206-112302.jpg

Existem outras campanhas bacanas também. Há três anos, um casal de amigos criou o Projeto Nanicos, com a missão de fazer mais crianças sorrirem no Natal. Este ano adotaram 97 crianças de um orfanato de Carapicuíba e outras 20 de um abrigo da Prefeitura em Cidade de Tiradentes, Zona Leste de São Paulo. Eles ganham conjuntos completos de roupas, brinquedos e guloseimas.

Se no ano inteiro o espírito natalino continuasse, saberíamos o verdadeiro significado da palavra fraternidade. Não é difícil tornar isso realidade. Muitos pais aproveitam o aniversário de seus filhos para fazer campanhas de doação, por exemplo. Espero que em 2014 mais pessoas possam contribuir para um mundo melhor!

Para as madrugadas despertas

oijulia_flickr

foto: oijulia

Passar a madrugada acordada com bebê não é fácil. Para garantir mais alguns preciosos minutos de sono, é importante que você preste muita atenção no pequeno e deixe o ambiente tranquilo para ele voltar a dormir. Enquanto o bebezinho está mamando, tudo certo. E como fazer passar aqueles intermináveis minutos depois de mamar?

Para qualquer pessoa, adulto ou bebê, é melhor esperar pelo menos 30 minutos para ficar na posição horizontal depois de ingerir algum alimento, líquido ou sólido. Devemos esperar para trocar fraldas ou colocar no berço tanto o bebê que é amamentado no peito quanto o que toma mamadeira. No caso de bebês que têm refluxo, mesmo depois que já arrotaram, é importante respeitar esse tempo. (Já li por aí sugestões de tempo da espera do arroto de 5, 10, 15, 20 minutos. A pediatra da Dora sempre recomendou a meia hora. Trocar fraldas ou dar banho ainda 40 minutos após mamar pode provocar uma bela regurgitada.)

Minha sugestão é também uma alternativa para as mães que já praticavam meditação e agora não encontram tempo para meditar: a meditação caminhando. Aliás, na gravidez, é uma boa hora para começar – sentar na posição de lótus ou mesmo na almofada parece impossível com o barrigão e as pernas que formigam mais, mas bem sentada na cadeira ou com essa técnica da caminhada, é também uma forma de se conectar com o bebê. Esse tempo de espera pelo arroto é parte do processo do aperfeiçoamento da paciência e da sensibilidade com o bebê.

mamae_desperta

foto: Anna Sofia Downey

Sugestão de como praticar:

De preferência de pés descalços e (no caso das madrugadas em claro) em ambiente com pouca luz e silencioso.

* Segure o bebê na posição de arrotar.

* Respire fundo, contraia o abdômen e levante-se.

* Corrija sua postura. Sinta seus pés no chão. Sinta como se um fio puxasse o topo da sua cabeça para cima e alinhasse todo o seu corpo. Verifique se seu quadril está bem encaixado. Abra o peito, coloque os ombros para trás. Relaxe a língua no céu da boca, deixe lábios e maxilar relaxados. Encolha um pouco o queixo. Veja se seu bebê está bem posicionado e lance o olhar cerca de um metro para frente e para baixo (mirando o chão à sua frente).

* Apoie-se sobre uma das pernas, sinta o peso do corpo apoiado. Levante o outro pé para dar o primeiro passo.

* Os passos não precisam ser rápidos nem muito devagar, mas lentos o suficiente para você sentir o movimento, sentir o peso e o contato do seu corpo com o chão.

* Observe a sua respiração, sinta o peso e o calor do bebê no seu colo enquanto segue caminhando.

colinho_papai

Papai também pode praticar a meditação caminhando

* Dê uma volta e repita o mesmo trajeto circular, no sentido horário. A área não deve ser tão pequena que te dê tontura nem tão extensa que te desconcentre. Cerca de 12 passos por volta pode ser bom.

* Não conte os passos nem as respirações ou inspirações ou expirações, nem número de voltas ou minutos. Tenha um relógio à vista ou ligue um cronômetro para poder consultar o tempo (pode ser um app, mas evite colocar um alarme que incomode o bebê). No Nursing Log, você pode ver há quanto tempo o bebê terminou de mamar.

* Concentre-se no contato entre você e o bebê. Na respiração. No caminho. Na sensação dos pés. No sons do silêncio – no barulho do ambiente ou barulhos externos. Na iluminação de onde você passa. Observe se o bebê dorme tranquilamente. Vivencie seu amor pelo bebê. Quando notar que um pensamento te distraiu, não o julgue nem se julgue, apenas volte a prestar a atenção no momento, em vocês – você e o bebê.

* * *

Da nossa paciência também depende o gesto para colocá-lo na cama quando está dormindo. Se fizermos movimentos delicados, com calma e devagar, é mais fácil colocá-lo deitado sem risco de acordar ao encostar no lençol. Não podemos estar apavorados nem se assustar se o bebê fizer algum barulho. Às vezes resmunga e abre os olhos, mas nem acordou (no máximo, um cafuné rápido resolve). Apenas observe e deseje uma boa noite de sono para vocês dois.

colo_mama

Bom sono!

Leia mais:
Sobre arroto, cólica e a posição ao deitar
Sobre o sono do bebê, no Piccolo
Um texto bonito sobre acordar à noite
O que é meditação
Livros recomendados sobre meditação