Experimentamos: massinha para banho

Fui na Lush Cosméticos olhar produtos pra mim e, pra minha surpresa, quem saiu ganhando foi a Dora. Conhecemos a FUN – massa modelável para limpeza. Uma massinha de modelar que serve como shampoo e sabonete (e é vegana). Dora ganhou a vermelha e a rosa.

Logo que abri o pacote pela primeira vez, pensava que me arrependeria. Começamos pelo vermelho, de tangerina. Seco, ela grudou em tudo antes de entrar no banho. O banheiro branquinho ficou… Vermelho!

massinha vermelha

Sem estresse. Só passar água e sumiu tudo. Nada ficou manchado, nem o rejunte. Por precaução, acho melhor entregar a massinha depois que a moça já entrou no banho (e não ainda de pijama, como na primeira experiência e fotos).

Criança geralmente não quer entrar no banho. E depois não quer sair, né? Agora ela pede e insiste. Depois que acabou, é até mais fácil sair. Não tem como ficar horas brincando porque se desfaz! Tem que cuidar pra não desperdiçar, deixar desmanchar sem espalhar a espuma no corpo, aí sim vai ser difícil economizar água.

massinha de banho

O melhor de tudo isso é que essa brincadeira está incentivando ela se dar banho sozinha. A mocinha de 2 anos e 3 meses já sabe usar o produto melhor que a mamãe. Ela modela logo que entra no banho e então fica esperando se dissolver e desmanchar na água, fazendo bastante espuma. Só aí espalha pelo corpo. Rende bem.

Eu não tenho a mesma paciência. Faço uma bolinha pequeninha e já grudo no cabelo dela para depois espalhar com um pouco d’água. A técnica dela é melhor. Então comecei a pegar um pedacinho e fazer uma bolinha no banho, criando bastante espuma ao modelar – não precisa de muita massinha pra fazer espuma.

No começo estava com receio de usar na cabeça.  Se fosse bebezinha, acho que evitaria pelas cores. Mas aprovei, lava bem, sua composição é natural. Lavando a cabeça, não arde os olhos – só que se colocar a mão cheia de espuma diretamente no olho, aí sim.

Ambos são muito cheirosos, quem passa perto da prateleira já sente. O rosa parece irresistível, no entanto o perfume de tangerina é mais marcante e muito gostoso depois do banho, com cabelo seco, ao menos para a minha sensibilidade. Não chegamos a brincar com mais de uma cor no banho para não misturar os perfumes. A recomendação é usar o vermelho nos banhos da manhã, para acordar. O rosa é mais suave e pode ser usado à noite.

É importante armazenar em um local bem seco, pode ser na própria embalagem de “bala” fechada. Se sobrar um pouco que usou, deixe secar e então guarde em um lugar bem fechado e seco. Se deixar numa saboneteira, molhando, já era!

Leia mais:
Da cabeça aos pés – resenhas de shampoos 2 em 1 para bebês

Advertisements

Presente de Natal: promoção

produtos da Enquanto Eles Dormem

1. contournos; 2. sabonete 100% natural e vegetal; 3. repelente natural; 4. cinco marias; 5. cesta de piquenique; 6. almofadinha infantil

Meu presente de Natal este ano para os leitores do Blog da Mamãe Sustentável é uma parceria com a loja Enquanto Eles Dormem. O nome  já denuncia que é uma loja virtual de mãe, certo? É também uma lojinha muito responsável, com produtos ecológicos. Enquanto seus filhos dormem, a Eduarda sonha com um mundo diferente e tenta tornar seu sonho real: “um mundo mais bonito, mais limpo e mais justo e um lugar de mais amor”.

Recomendo dar uma olhada em tudo. Há várias linhas de fraldas de pano modernas, ela inclusive destaca os modelos para praia e piscina. Vende também os contournos, que é um absorvente para fraldas capa que pode ser usado sozinho (a Dora demorou a experimentar esse modelo, devo uma resenha!). Há produtos orgânicos e naturais – estou curiosa por esse repelente para crianças! Há coisinhas para as mães (e pais). Roupas descoladas. Brinquedos que resgatam um brincar autêntico, como cinco marias, cesta de piquenique… Além de acessórios bacanas, como almofadinhas relaxantes para o pescoço do bebê.

Nosso presente é 10% de desconto para as compras com o código mamaesus. Não percam! A promoção vai até o dia 25/12.

cupom na loja enquantoelesdormem.com.br - mamaesus

E mais: só até hoje, 10% de desconto nas compras acima de R$ 100 no brechozinho da Mamãe Sustentável no Ficou Pequeno.

Como dar banho no bebê

Como dar banho no nenê?

Dora ensina como dar banho na boneca

Dar banho era possivelmente minha maior inquietação antes de ser mãe. Trocar fralda, amamentar, pegar no colo, não temia nada disso. Já o banho… Tanto que deixei o papai se encarregar dele nas primeiras vezes, e aproveitamos todas as dicas das enfermeiras no hospital.

Como mãe de primeira viagem, fiz um curso numa maternidade sobre os cuidados básicos do bebê. Fiquei bastante apegada àquele passo-a-passo. Agora que já não seguimos os passos e a Dora já sabe (na teoria) como tomar (e dar) banho, vou repassar os pontos para vocês, comentando como pode ser mais sustentável.

Primeiro: lavar a cabeça
Mesmo o banho de hoje começa pela cabeça, principalmente se usamos shampoo e sabonete no lugar do sabão líquido da cabeça aos pés. Assim não irrita os olhos, pois a água da banheira ainda não tem espuma.

Rosto e região dos olhos: apenas água morna
Esta etapa você pode fazer ainda no trocador, antes de despir o bebê. Se esquecer, não tem problema deixar para o final, quando for colocar a fralda.

Prefira usar a água quentinha da térmica de limpar o bebê (da troca de fraldas) e não a da banheira, onde há resíduos de sujeira ou sabão e pode infeccionar os olhos – recomendação de um oftalmologista. Na aula do hospital, indicavam algodão. Em casa, você pode usar lencinhos de fralda de pano, dessas fraldinhas de boca, limpas e passadas a ferro.

Atenção: (quando removemos a maquiagem, muitas vezes nos confundimos) a forma correta é limpar as pálpebras de fora pra dentro. Ou seja, se há alguma sujeirinha, ela será descartada pelo cantinho interno do olho, próximo do nariz.

Orelhas
A recomendação oficial é limpar a área mais externa da orelha com cotonete, cuidando para não empurrar a sujeira para dentro. Esta é a etapa menos sustentável, visto que no Brasil não se encontra cotonetes biodegradáveis. Tanto faz se é infantil ou adulto. À medida que o bebê cresce, não vejo necessidade de limpar a orelha diariamente, a não ser que tenha enfrentado muito vento ou se brincou na areia da praia ou da pracinha.

Primeiro passa cotonete com água morna. Depois passa a outra ponta seca para secar a orelha. Por dentro e por fora. Cotonetes diferentes para esquerda e direita. Dois cotonetes ao dia… O ideal seria usar um cotonete de haste biodegradável e algodão orgânico.

O problema maior das hastes flexíveis comercializadas (mesmo as infantis) não é o fato do plástico da haste não decompor, mas a composição do algodão. Além de sofrer processo de branqueamento, há outros químicos bactericidas anti-mofo que podem ser prejudiciais à nossa saúde. Em vez de usar o mimikaki (haste japonesa de bambu para remover a cera do ouvido), já que o correto é não remover a cera, uma sugestão é simplesmente limpar as orelhas com o paninho ou com a própria toalha de banho. A cera pode derreter sozinha e voltar ao ouvido naturalmente, sem que você perceba. (Quando notava que minha filha estava “entupida” e queria “sugar” a umidade do ouvido, usava a técnica da cebola.)

Como enrolar o bebê?

Baixa o bracinho e enrola, baixa o outro bracinho e enrola. Pode ser com um cueiro, uma fralda de pano, um cueiro moderno ou mesmo com uma toalha de banho infantil. Fazia isso já sem fralda

Cabelos
Antes de lavar os cabelos ou para toda essa primeira etapa do banho, você pode enrolar o bebê num cueiro (swaddle), prendendo seus bracinhos. Apóie o bebê no antebraço esquerdo (se for destro) e com a mesma mão segure a cabecinha do bebê. Se conseguir, tampe os ouvidos do bebê com o polegar e um dedo da outra extremidade (dedo médio), para não entrar água. A mão oposta (direita) fica livre para manusear o shampoo e passar água na cabecinha do bebê.

Observe que nesta etapa o bebê não fica submerso na água, está no colo, apenas sua cabecinha é lavada. Esta técnica pode ser usada com qualquer tipo de banheira, mesmo antes de entrar no ofurô. Você não precisa dela, entretanto, se preferir dar banho na ducha, no seu colo – neste caso, apenas segure o bebê diretamente no seu colo, em contato com sua pele, e molhe-o delicadamente com o auxílio de uma das mãos.

Corpo
Desenrole o bebê e coloque-o na água, cuidando para que tenha apoio no bumbum e na cabeça. Enquanto o bebê não senta, a redinha dá bastante segurança aos pais. Para não escorregar da banheira (mesmo depois que senta), você pode colocar uma fralda de pano grande no fundo. Esta pode ser a etapa mais temida para pais e bebês! Para o bebê curtir esta parte do banho, certifique-se de que a água esteja morna (35 a 37 graus) e que tenha bastante água para cobrir o bebê. Por isso recomendo o ofurô: pouca água é suficiente para cobrir o bebê até a altura dos ombros.

Você pode dar banhos de aveia para hidratar a pele sensível e delicada do bebê.

Coto
Nas primeiras semanas do recém-nascido, é preciso limpar o coto. É a parte final do banho, depois que já saiu da água. Diferente do que costuma ser ensinado (passar cotonete), um dos primeiros pediatras que atendeu nossa filha receitava aplicar as gotinhas de álcool 70% diretamente no coto, mesmo que parecesse ficar “encharcado”, pois isso auxilia e acelera a secagem do coto e evita infecções que um cotonete pode causar.
 

Esse procedimento completo pode ser seguido até não termos mais força no antebraço ou o bebê sentar sozinho. Perto dos 10 meses, o bebê fica mais inquieto, podendo ser distraído com brinquedinhos ou livros para banho. Aproveite para ensinar as partes do corpo enquanto dá banho no seu filhote desde bebezinho!

Saiba mais:
Banho sustentável é no ofurô
Como dar banho de aveia
Três marcas de sabonete líquido “da cabeça aos pés”
A tal da redinha
Um vídeo que ilustra a lavagem da cabecinha
Detalhes que fazem diferença para menos desperdício

Da cabeça aos pés

Tem quem defenda que sabonete em barra é menos alergênico e quem diga que o líquido resseca menos. A verdade é que pele de bebê é bastante sensível. Para o recém-nascido e de preferência no primeiro ou nos dois primeiros anos de vida ou pelo menos enquanto não tiver muito cabelo, o que eu mais recomendo é o sabonete “da cabeça aos pés”. Líquido, serve como shampoo e para todo o corpo. Prático e seguro.

Agora, com mais de um ano, com o cabelo fininho crescendo e ficando jeitoso, intercalo no máximo uma vez por semana com um banho de shampoo, condicionador e sabonete em barra – e também com banho de aveia, porque o frio e a água mais quente ressecam a pele, e o condicionador, ainda mais nessas condições e tempo seco, pode provocar espinhas. Mas ainda uso na maior parte do tempo o da cabeça aos pés na minha filha.

Testei e indico três marcas mais naturais, sem corantes e outros componentes. De uma delas usamos o shampoo (depois da Dora ter completado um ano), mas eles também fazem sabonete da cabeça aos pés. Tem que ficar de olho na fórmula: corantes e ácido cítrico podem dar alergia; parabenos e alguns PEG ou outros componentes são cancerígenos. Não basta ser recomendado comercialmente (dizer no rótulo) para bebês.

testei: Vyvedas Baby & Kids Shampoo & Sabonete

Vyvedas Baby & Kids 2 em 1
Shampoo & Sabonete Líquido
Perfume bem suave depois do banho – na hora é mais marcante e lembra tutti-fruti. Bem transparente e incolor. Durou bastante. Quando chegava ao final, não queria que acabasse. Como quase todos tipo “da cabeça aos pés”, pode dar uma certa dificuldade para pentear depois que o cabelo cresce. Com mais de uma semana de uso e tempo seco, deixou o cabelo bem seco.

Encontrado em lojas de produtos naturais, supermercados orgânicos ou nas lojas próprias da marca.

Embalagem: estranhei o formato, achei pouco anatômico, mas não tive problemas com ela; caiu logo o rótulo; a tampa sobe ou desce para travar, você vira e aperta para utilizar, não chegou a vazar.

Não contém ou diz não conter: corantes, Lauryl Ether, óleo mineral, parabenos, PEG, Quaternium-15, sabão, ingredientes de origem animal

rótulo do Vyvedas Baby & Kids Shampoo & Sabonete

Contém: camomila, calêndula, perfume de óleos essenciais; sodium lauroyl sarcosinate (considerado seguro); benzyl alcohol, ácido cítrico

Origem: Brasil

Testei: Weleda Shampoo & Body Wash

Weleda
Calêndula Shampoo & Body Wash
Bem interessante. O perfume clássico da linha baby da Weleda, de calêndula, resiste a banho enforcado, abraços apertados de tias perfumadas e suor – mais de 24h depois, estava lá, ainda que bem suave. Não curto muito (para mim) shampoo que não tenha textura transparente (meu cabelo é oleoso)… Esse sabonete é cremoso, branco, opaco. Por isso talvez facilite um pouco pentear, mas não chega a ser como um condicionador. Depois de vários dias seguidos de uso, aos 14 meses e o cabelo mais crescidinho, deixa dar nó. Aí intervenho e, no dia seguinte, aplico um condicionador. Rendeu bastante.

Encontrado em farmácias e lojas próprias da marca, entre outros estabelecimentos, no Brasil.

Embalagem: em tubo tipo pasta de dente (mas plástico), a tampa logo quebrou e não fecha direito – ou seja, não posso levar para viajar.

Não contém ou diz não conter: sabão, parabenos, corantes, conservantes, Lauryl Ether, PEG, Quaternium-15, ingredientes de origem animal

rótulo Weleda Shampoo & Body Wash

Contém: extrato de amêndoas doces, óleo de gergelim, extrato de calêndula; perfume, Limonene e Linalool de óleos essenciais; glicerina, álcool.

Origem: Suíça

Testei: Hipp Shampoo Delicato

Hipp
Shampoo Delicato
Comprei apenas o shampoo, bem que gostaria de ter experimentado o sabonete da cabeça aos pés da mesma marca. Proporcionalmente foi o mais barato dos três, mas só encontrei no exterior e comprei porque estava viajando. Essa marca desenvolve produtos orgânicos certificados – como as papinhas que comentei. Este produto não é totalmente natural, mas contém óleo de amêndoas orgânico.

O shampoo “delicato” é para peles sensíveis, indicado inclusive a adultos alérgicos. Incolor e bem suave, deixa o cabelo do bebê um pouquinho seco (no tempo seco), com frizz, mas não ao ponto de precisar de condicionador. O perfume é megasuave, tanto que não dura 24h. Bebês perdem calor pela cabeça; se suar muito, pode chegar a sentir o cheirinho de suor antes do próximo banho. Como recomendam para adultos, usei em mim também e (numa primeira experiência) meus cabelos oleosos reagiram bem.

Encontrado na Europa.

Embalagem: Fácil de manusear e fecha bem (lembrando que testei apenas o shampoo)

Não contém ou diz não conter: sabão, perfume alergênico, parabenos, corantes, conservantes, PEG, Quaternium-15, ingredientes de origem animal, óleos essenciais (supondo que alguns podem ser alergênicos)

rótulo Hipp Shampoo Delicato

Contém: extrato natural de amêndoas orgânico; Lauryl Glucoside (que, de acordo com o blog One Love Organics, não provoca irritação e é de origem natural), ácido cítrico, glicerina, cloreto de sódio.

Origem: Suíça

Saiba mais:
Cheiro bom ou cheiro ruim? – artigo sobre fragrâncias para bebês
Banho de aveia no bebê – como preparar
Os rótulos dos produtos – por que ler
Mãos de mãe – ou unhas de mãe

Para relaxar

Depois de uma noite mal dormida, com dor de cabeça de sono, um banho bem cheiroso revitaliza a mamãe. A massagem circular no couro cabeludo e nas têmporas ajuda a relaxar. O perfume precisa ser suave para não piorar a situação nem causar estranhamento no bebê. Gestantes também têm mais sensibilidade a cheiro, então as dicas abaixo são também para elas.

Sabonete
20130911-004259.jpg
Sabonete vegetal em barra Harmonia, de lavanda, da Reserva Folio
: Conheci a Reserva Folio na feira de sustentabilidade no Ibirapuera. Gostei bastante do sabonete. O perfume não é marcante, mas minha intenção, como mãe, não era essa. Mesmo sendo de lavanda, não é colorido, não há corantes, então tem a cor de um sabonete natural de glicerina. Composto por 82% dos ingredientes de origem orgânica. Feito em Nova Friburgo/RJ. Leva o selo do IBD – Instituto Biodinâmico, que fiscaliza produtos orgânicos no Brasil de acordo com as normas internacionais. Vem em embalagem de papel reciclado.

Shampoo
20130911-004251.jpg
Shampoo orgânico de lavanda e verbena branca da Herbia: Com 100% dos ingredientes naturais, o que já se nota na textura do gérmen de trigo, tem tom amarelado e é encorpado, sem corantes. O aroma é bem suave, mas suficiente para deixar o banho bem relaxante. Não é testado em animais e tem o selo Cruelty Free. Tem certificação IBD de ingredientes naturais. Lava bem meu cabelo, misto (mais para oleoso). O fabricante recomenda usar três vezes por semana. Comprei pela internet, a entrega foi rápida para São Paulo.

20130911-004154.jpg
Shampoo de Camomila, Girassol e Nutrimel, da Payot
: Camomila é tonificante e tira o excesso de oleosidade. Combinada com girassol, não resseca o cabelo, caindo bem para vários tipos, apesar de indicado para fios finos e delicados. Fácil de encontrar em lojas de cosméticos e supermercados.

Óleo corporal
Na gravidez, o uso de óleos na barriga é bastante popular. Além de hidratar a pele, é uma forma de acariciar o bebê que está pra chegar. No pós-parto e na amamentação, a pele pode parecer ressecada, então vale a pena seguir massageando a pele úmida depois do banho.

Sem enxágue
20130911-004239.jpg
Rich Caring Oil, da Nivea: O óleo de abacate da Nívea tem um cheirinho bem suave e pode ser usado sem enxágue, pois não deixa uma textura oleosa na pele. O custo dele é relativamente menor do que muitas marcas. Minha avó Olga fazia máscaras de abacate no rosto e teve uma pele maravilhosa a vida toda – só para vocês entenderem as propriedades do abacate, pois este produto não deve ser usado na face. Não há ingredientes de origem animal nem corantes. Muito fácil de encontrar em farmácias e supermercados.

Com enxágue
20130911-004216.jpg
Sève, da Natura: Ganhei de Natal dos dindos da Dora um presente que é uma delícia para gestantes: um buffet de óleos. Os potinhos com perfumes diferentes eram bacanas para ter um leque de opções de acordo com a sensibilidade do dia, sem enjoar do cheiro. Eram da linha Sève, um clássico da Natura. Deve ser enxaguado depois da aplicação. Venda sob encomenda de revendedoras.

Compressas de chá de camomila
Chá gelado de camomila pode ser usado para limpar o rosto, tirar a vermelhidão, o excesso de oleosidade e tonificar. Para tirar os sinais de cansaço dos olhos, você pode fazer compressas geladas de camomila nas pálpebras com o próprio sachê do chá. Depois de fazer o chá, deixe esfriar o saquinho ou guarde-o na geladeira ou no congelador. Se possível, escolha um chá orgânico.

Máscara para dormir com recheio de ervas
20130911-004144.jpg
Para conseguir cochilar durante o dia ou depois que amanheceu, máscara. Melhor ainda recheada de ervas. Tanto camomila, que acalma, quanto lavanda, que combate a insônia, são excelentes opções. São fáceis de encontrar em feiras, farmácias de manipulação ou lojas de produtos naturais. Numa viagem, perdi a minha de camomila da Natural Wonder, então agora uso uma de lavanda da Botica.

Para o final do dia
20130911-004225.jpg
Gel para pés e pernas cansadas Granado Pink: Com aroma refrescante de menta (até lembra chiclete), que abre as narinas, clareia a mente e melhora a circulação, relaxando as pernas. Bem geladinho. A Granado não testa seus produtos em animais e tem como princípio produzir cosméticos biodegradáveis, com base natural. À venda em farmácias e nas lojas da marca.

Saiba mais:
Sobre óleos essenciais e os benefícios da lavanda
10 formas de reaproveitar o sachê de chá