Rotina

relógio de Vinil - por Rodrigo Terra / flickr
Nos primeiros dias de horário de verão, estou perdida e atrasada! Aos poucos, tento voltar à rotina da Dora. Espero que ainda esta semana a gente fique em paz com o relógio.

Eu achava estranho os pais que se apegavam muito a essa palavra, rotina. Achava exagero. A Dora passou alguns meses sem fazer longas sonecas, mesmo tendo uma certa rotina de atividades (dormia a noite toda na época). Hoje vejo a rotina como sinônimo de disciplina, organização e espaço, liberdade.

Acompanhem nossa rotina dos 2 anos e 4 meses da Dora até poucos dias:

Dorme na cama dela, vem para a cama do casal no meio da noite – talvez 4h ou 5h da manhã. Por volta das 6h mama (amanhecendo) e volta a dormir. Ao acordar, umas 8h, mama de novo, com preguicinha.

Depois que tomamos um café da manhã reforçado (ela come sozinha enquanto eu preparo meu suco), passeamos. Geralmente, vamos a um parque com pracinha. Ela toma água, se der fome no caminho (ou na volta), come castanhas e passas. Atualmente, ama castanha de caju. Compramos orgânica sem sal. Por volta das 11h pede pra mamar um pouco, nem sempre.

Entre 11h30 e 12h30, almoça. Quanto mais cedo, melhor come.

Logo que acorda ou esperando o almoço, fica animada para atividades artísticas, pintar, modelar, desenhar. Sempre é hora de escutar música e dançar ou ler livros.

A partir das 13h30, mama (leitinho materno de sobremesa) e dorme.

Normalmente dorme 50 minutos a 1h e pede pra mamar. Segue dormindo no colo mais 30-90 minutos de sono leve. Boa hora pra sentar na frente do computador e trabalhar um pouco. Às vezes faz uma soneca de 2h direto, geralmente pede pra mamar ao acordar quando é assim. Também faz soneca passeando de carrinho – pelo mesmo tempo (às vezes direto, outras vem pro colo e dorme mais, ou um pouco de mamá e cama). Quanto mais cedo faz a soneca, mais rende o dia – se gastar bastante energia de manhã, fica mais fácil.

O lanche da tarde costuma ser por volta das 15h30, depende um pouco da hora do sono.

Às vezes dá tempo de ir de novo pra pracinha à tarde também. Num dia ideal, seria assim. Geralmente saímos pela manhã e pela tarde.

O banho pode ser na volta da pracinha ou no fim do dia. Se atrasamos muito, é depois da janta, o que evitamos, para não dormir de cabelo molhado.

Janta cedo, a partir das 18h. Às vezes depois das 20h. Pelo menos uma vez por semana, até mais cedo, umas 17h30.

Dorme entre 20h30 e 21h30 idealmente. Nos dias mais agitados ou fora da rotina, pega no sono só perto das 22h. Lemos uma história (ou até cinco ou várias vezes) pra ela dormir. O papai adora assistir um desenho de 5 a 10 minutos antes de dormir – como ela chora pedindo mais ou chama a mamãe pra ler história, são raras essas noites. Não mama mais para dormir à noite, mas muitas vezes pede pra mamar antes de escovar os dentes.

Quando seguimos essa rotina, tudo flui, até sobra mais tempo pra gente. Difícil ter birra. Não fazendo a soneca ou mesmo com soneca menor que o habitual (menos de 1h ou depois de dias consecutivos dormindo pouco), já teve terror noturno, um pesadelo para os pais. Dormindo bem durante o dia, dorme bem à noite.

Ah, o relógio no meu pulso sempre ajuda. Quanto mais cedo forem as refeições, melhor se alimenta. E quanto mais cedo fizer a soneca da tarde (brincar na pracinha no sol da manhã colabora pra que isso seja possível), dorme mais cedo e é melhor sua qualidade do sono.

O que vocês me sugerem para não sofrermos com a mudança de horário? O que muda na rotina de vocês?

Leia mais:
Como identificar o choro do bebê de 0 a 29 meses – pode ser sono

foto: Relógio de Vinil, por Rodrigo Terra / flickr

Advertisements

Bastidores da festa

DSC_0121

No primeiro aniversário, queria muito que minha filha pudesse aproveitar bem sua festinha. Não queria que ficasse com sono no meio de tudo. Por isso cuidei para que a festa começasse cedo (no meio da tarde) e respeitei seus horários para que ela ficasse tranquila na chegada dos convidados. Me preocupei para que a Dora tivesse uma rotina tranquila na véspera e tirasse as sonecas no meio do dia antes da festa.

O dia anterior foi OK. No dia da festa, no final da manhã, a tia levou a aniversariante com sono pra passear de carrinho enquanto a mamãe finalizava os preparativos com a vovó – mas quem disse que ela dormiu? Depois do almoço, sim, mamou e tirou uma bela soneca até 15 minutos antes da festa, quando entrou para o banho.

No começo estava tímida e sonolenta, mas não demorou para entender que a festa era dela. Quase todos os presentes abrimos na frente dela. Quando era brinquedo, deixávamos no tapete para as crianças brincarem.

Seria ainda mais perfeito se soubesse apagar a vela do bolo! Isso ela aprendeu alguns meses depois. Pelo menos não chorou (eu chorei no meu primeiro parabéns)! Já batia palmas e curtiu a função toda.

Não precisou jantar nem lanchar, beliscou comidinhas saudáveis na festa ao longo da tarde e da noite. Bem gulosa! No aniversário não precisa respeitar o horário dessas refeições.

Fim do dia: pés descalços e vestido imundo! Festa muito bem aproveitada.

 

primeiro aniversário: preparando o bebê para a festa

Leia mais:
Primeiro aniversário – festa para bebês, sim!
Festa ecológica para bebês – como fazer e como fizemos
Sementes de lembrança – lembrancinha de maternidade ou para festas