Desfralde noturno

Socorro bem-vindo: trio da Fralda Bonita

Socorro bem-vindo: trio da Fralda Bonita

Não imaginava que minha filha desfraldaria à noite também. Mas pouco depois de desfraldar, passou a pedir para não colocar fraldas para dormir. Acordava sequinha mesmo. E assim passamos meses sem xixi na cama em casa.

Se a gente morasse um pouquinho mais ao Sul, não teria feito o desfralde noturno ainda este ano. No frio, com umidade ou depois de passar um pouco de frio durante o dia (acostumada a tirar sapatos e casaco dentro de casa), os acidentes podem ser mais frequentes à noite. Pelo menos foi a nossa experiência neste inverno, visitando a família em Porto Alegre e passeando na Serra Gaúcha, em Gramado.

Confesso que estava com saudades de ver aquele bumbum fofinho protegido por uma fralda de pano linda. Tanto tempo sem usar, que já tinha esquecido de colocar fraldas na mala. E é sempre assim, não é? Esquece um item na mala, é desse que a gente mais precisa.

Na verdade dessa vez eu tinha levado. Uma. Só uma capa, mas nenhum absorvente extra para o bolso da fralda.

Que desespero! Nem lembro exatamente como fiz pra me virar nos dias seguintes. Passei praticamente a não dormir mais à noite. Estávamos dividindo quarto, então eu ficava esperta. A qualquer movimento dela para acordar e querer vir para minha cama, eu a chamaria para ir ao banheiro. E ela ía, bem zumbi. Se bem me recordo, a noite do acidente foi intercalada com uma noite seca e talvez mais uma noite molhada, algo assim.

Quem nos salvou foi a Bettina, da Fralda Bonita. Na manhã seguinte ao acidente, um sábado, liguei pra ela. Por sorte, minha sobrinha, que já não é mais bebê (temos 8 anos de diferença), estava em Gramado. Seria difícil pronta-entrega de tamanho grande, muito menos já lavada (temos que lavar cinco vezes pra tirar a goma do tecido antes de começar a usar). Casualmente, ela tinha algumas fraldinhas usadas e fez a gentileza de nos dar.

Como se não bastasse nos socorrer em pleno final de semana, ainda nos mandou um mimo. Um pinguim de pano fofíssimo, que a Dora amou, não largou e dormiu agarrada já naquela noite. Muita gratidão, Bettina!

Foi só voltar pra São Paulo, que ela já voltou a dormir sem fraldas. Para uma visita à família no RS em outubro, quando ainda tem feito frio (depois de um inverno quente lá também), estamos levando mais algumas fraldinhas de pano. E o presente da Bettina (exceto o brinquedo) está nos esperando na casa da vovó, por garantia!

Leia mais:
Os primeiros passeios sem fralda
Como lavar as fraldas de pano
Fraldas impermeabilizadas ou vazando? Veja o que fazer

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s