Desfralde

desfralde

penico na casa da vovó

Já fazia tempo que minha filha dava sinais de desfralde (nem tão óbvios assim, como saber e tirar sozinha fraldas, avisar quando tinha feito xixi ou cocô e mostrar interesse pela rotina de ir ao banheiro), mas não achava que ainda neste verão passado deixaria as fraldas. De uma hora para a outra, estava pronta! Foi tudo muito rápido depois do Carnaval.

Sem muita disciplina, deixávamos que ela ficasse bem à vontade nos dias de calor. Na hora de trocar a fralda, oferecíamos que usasse o redutor de assento ou o penico. Sempre que lembrava e estava em casa, a deixava só de calcinha ou peladinha mesmo.

Passamos por alguns acidentes no começo, na soneca da tarde depois de mamar, ainda no meu colo. Nada assustador. Qualquer mãe habituada com fraldas de pano tira de letra!

Logo percebi que as calcinhas que estavam no tamanho certo (nem precisavam ser especiais*) seguravam até cocô. Além de serem fáceis de lavar, secam muito rápido. Bem mais rápido que qualquer fralda de pano. Meu primeiro impulso foi querer aumentar muito a coleção de calcinhas (o que, no comecinho, foi realmente necessário).


Como foi

Depois que ganhou o penico de Natal, começou a se interessar mais pelo desfralde. Mas só na semana que antecedeu o Carnaval começou a pedir para usar o penico com o objetivo de fazer xixi, geralmente na hora do banho, antes ou depois, sempre peladinha. E então eu notei que os pedidos para ir ao banheiro funcionavam quando ela estava pelada ou de calcinha, não com fralda, mesmo que fosse de pano, independente do modelo. De fralda, ela só avisava ou pedia para tirar depois que sujasse.

Depois de uma semana quase inteira fazendo pelo menos um xixi por dia no penico, resolvi levar o redutor de assento na viagem de Carnaval. Na ultima noite, ela pediu umas três vezes para usar o redutor até que fez cocô na patente! E nem estava em casa!

O papai, depois de presenciar esta cena, passou também a incentivar o uso de penico pela manhã, cedinho. E então ela passou as duas semanas seguintes pedindo para usar o penico direitinho, quanto orgulho! Para sair e para dormir, ainda usava fralda (com um ano e 10 meses). Mas aí comecei a achar que estava confundindo a cabeça dela. Que não deveria continuar de fralda depois que acordasse nem usar pra sair. Incentivada por outras mães, tomei coragem e deu supercerto!

Depois, assumindo o desfralde, teve atrasos no horário do cocô ao viajar pra casa da vovó. Às vezes fazia cocô na fralda antes de dormir. Até que acostumou e não suportava mais uma fralda suja – andava de perna aberta se tinha cocô!

Nas primeiras semanas de desfralde, talvez tenha aumentado uma lavagem de máquina por semana. Normalmente, antes de iniciar o processo, lavava fraldas de pano a cada três dias. Agora, usando fraldas de pano apenas para dormir, posso lavar a cada seis!

Algumas mães me disseram que tiraram as fraldas diurnas e noturnas ao mesmo tempo das meninas. Tentador. Várias vezes as fraldas amanhecem sequinhas.

Paramos com as descartáveis (boa hora, em que tudo importado triplicou o preço), porque mal se percebia o xixi nas fraldas. Tivemos alguns acidentes só por atrasar para colocar as fraldas para dormir, mas já teve noite em que esquecemos e deu tudo certo. Mesmo assim, o plano é desfraldar à noite só no próximo verão – ainda que ela às vezes não queira colocar fralda para dormir.

Dora recém fez dois anos – na publicação deste post, está com 26 meses. Desfraldou, mas ainda mama no peito.

 

* Já ouviu falar em fraldas e calcinhas especiais para desfralde?

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s