Alimentação para a nutriz

Mãe que amamenta tem tanta ou mais fome do que na gestação. Principalmente nos primeiros dias, pode chegar a ter desejos! Tive mais desejos quando comecei a amamentar do que grávida.

brocolis

saudade de brócolis
Foto: Frédéric Voisin-Demery

No geral, mudei bastante o cardápio em relação à gravidez. Não existe alimento proibido, o importante é se alimentar bem, mas você pode observar como o bebê reage. Não como mais brócolis, couve-flor ou vagem nem tempero com muito alho – dão cólica na minha filha. Diferente da gestação, diminuí o leite e a salsinha. Cortei quase totalmente (a não ser em algumas recaídas) leite de vaca e derivados em função do refluxo do bebê. Já couve e espinafre, por exemplo, posso comer à vontade.

No pós-parto, estava preferindo frutas e alimentos laxantes. Passados os primeiros 30 dias, pude voltar a comer feijão. As propriedades do feijão que provocam cólica no bebê (ou gases em geral) desaparecem se os grãos forem bem lavados. Isso significa deixar 12h de molho e não reaproveitar essa água, lavar mais vezes até o líquido não ficar mais escuro (no caso do feijão preto).

231428263_e81907fb17

feijão preto sem medo
Foto: Paul Goyette

As frutas continuam boas aliadas. Até porque, por mais que procure criar uma rotina no bebê, já virou rotina não manter as refeições em horários pré-estabelecidos e não consigo ficar tanto tempo sem comer. No inverno, por exemplo, vale aproveitar, pra quem gosta, a safra da bergamota (lá no Sul chamamos assim), muito prática para descascar (preguiça não é desculpa). Morangos orgânicos são fáceis de lavar e nem são descascados. Na primavera as opções aumentam e vale se puxar mais e preparar uma saladinha de frutas.

O tempo para se alimentar é escasso. Então – eu, pelo menos – me acostumei a comer com o bebê no colo e até a me alimentar usando a mão esquerda (sou destra). Por isso tenho ficado cada vez mais interessada em superalimentos.

Três passinhas de goji berry, por exemplo, uma frutinha vermelha do Tibet, suprem a quantidade diária de vitamina C de uma pessoa – como a vitamina C ajuda na absorção do ferro, sou vegetariana e estou amamentando, aumentei essa quantidade para umas cinco passinhas. Elas são muito pequeninhas e vermelhas, têm sabor levemente azedinho e podem ser misturadas na salada ou na vitamina/smoothie. Para sua eficácia, devem ser reidratadas, consumidas com líquido. Estão na moda porque ajudam a perder peso, por estimularem o metabolismo. Elas vêm de tão longe, o que é pouco “sustentável”, mas é a mãe “saudável” que fala mais alto – que está louca para ir a pé até a Zona Cerealista de São Paulo comprar mais.

5776957985_ee2e1b57ae

goji berries
Foto: Miriam Wilcox

Leia mais:
Um artigo da Mamãe na Ponta Verde sobre os “alimentos proibidos” na fase de amamentação
Chás para mamães – recomendados para a produção do leite
Bebida de mãe – duas receitas deliciosas
Apoio para amamentação – tudo o que deve estar ao lado da mãe que amamenta

2 thoughts on “Alimentação para a nutriz

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s