Viagem com bebê

2721679710_ff0bb2fa32_b

Foto: Jeremy Engleman

Viajar fora de época é uma escolha sustentável. Além de ser mais tranquilo, sem multidão para passear com as crianças, não esgota os recursos locais, como é o risco da alta temporada. Com bebês, ainda mais fácil, aproveitando que não têm calendário escolar, estão sempre de férias.

Ser sustentável fora de casa com bebê não dá trabalho e permite que você seja um turista consciente, respeitando o ambiente que visitar. Confira algumas dicas:

Trocador

20131010-232754.jpg

Fralda Bonita

Normalmente, não há problema algum em usar um trocador lavável e impermeável. Em alguns destinos ou situações, no entanto, pode ser mais prático usar um trocador descartável. O xixi pode escorrer do trocador ou você pode ter dificuldade para limpá-lo.

Você pode fazer seu próprio trocador (ou cobertura para trocadores públicos) cortando um pedaço de TNT (tecido não-tecido). Ou comprar os trocadores biodegradáveis como este da Wiona:
Baixa (3)

Fraldas
Você pode levar fraldas biodegradáveis (no Brasil, temos a Wiona) ou, caso precise de mais fraldas ou viaje por um longo período, procurar fraldas biodegradáveis no lugar de destino. (Comprando a maior parte das fraldas no destino, certamente a mala fica mais leve.) A Wiona pode ser encontrada em vários países, mas existem outras marcas no exterior. No México, existe a BioBaby. Nos Estados Unidos, a Honest. Na Suécia, a Nature Babycare. Na Itália, a Naturaé.

Se preferir levar as fraldas de pano, procure recheios descartáveis e degradáveis para essas fraldas. Existem as coberturas descartáveis, apenas para a superfície e resíduos mais sólidos, que são lencinhos chamados de forrinho ou liners. E também recheios absorventes degradáveis descartáveis, que absorvem xixi e evitam sujar a fralda – esses são os disposable inserts. Se informe sobre o sistema de esgoto da cidade e da casa antes de descartá-lo na patente – ainda que diga “flushable” na embalagem. Na foto, são inserts da marca Charlie Banana:

20131010-232622.jpg20131010-232644.jpg

Banho
Agora que você já domina o banho do bebê na banheirinha de casa, como sobreviver sem ela? A solução é levar uma banheira inflável ou, ainda mais simples, tomar banho com o bebê no chuveiro. As banheiras infláveis para bebês costumam ser confortáveis, fofinhas, anatômicas para apoiar o bebê e ainda avisam se a água estiver muito quente. São também uma forma da criança se adaptar ao banho em banheira ou chuveiro. Geralmente são recomendadas até 12 meses, mas tem gente que usa por mais tempo.

20131010-232550.jpg

Sono
Dificilmente há berços disponíveis nos hotéis. Se o bebê não dormir no carrinho ou na sua cama, você pode colocar um colchão no chão para ele deitar. Existe ainda um berço inflável que serve como cama e banheirinha!
20131010-232541.jpg

Alimentação
Até os seis meses, pode ser mais fácil viajar se o bebê está apenas sendo amamentado. Depois disso, inclua na sua pesquisa da viagem papinhas orgânicas que possa comprar. Uma dica interessante repassada pela Irene, do CineMaterna: não acostumar o bebê apenas com comida quente. Fica mais fácil não precisar aquecer a papinha.

Mala

8513467391_a5f8c448e1_n

Foto: Janet McNight

Leve o mínimo de peças. Se possível, seja econômico na sua mala, já que a criança pode precisar de mais trocas de roupa. Em vôos nacionais, bebês de colo não tem franquia, e a equipe de check in raramente deixa de cobrar 1kg de excesso de bagagem. Apenas o carrinho ou bebê conforto é despachado sem pesar.

Saquinhos
Para organizar a mala e separar os conjuntinhos, você pode usar saquinhos de TNT (como aqueles de sapatos ou sacolinhas retornáveis).

Para roupa suja ou fralda suja (mesmo as descartáveis biodegradáveis, caso não encontre um lixo), você pode levar um saco como esses da Fralda Bonita que havia sugerido aqui. Cabem duas fraldas em cada saquinho, que é impermeável e fecha.

Compras
Leve pelo menos uma sacola retornável para fazer compras. Em alguns países os supermercados não oferecem mais sacolas plásticas, apenas saquinhos sem alça. Reduza a quantidade de sacolas que você vai trazer ou de lixo que vai deixar.

Se quiser trazer alguma lembrança, não retire do local plantas, flores, conchas ou outras coisas que possam alterar o ambiente da região visitada ou interferir na flora de onde você mora. Informe-se sobre o que a Anvisa permite trazer para evitar transtornos com a Polícia Federal na volta ao Brasil.

Na hora de adquirir um presente, escolha produções regionais, de produtores locais, como artesãos ou indústrias que usam matéria prima local também.

file0001354651431

Foto: Anita Peppers

Planejando sua próxima viagem:
Desmistificando as viagens com bebês
De ônibus com bebê
Turismo sustentável: faça a sua parte!
Passaporte Verde – guia do viajante do Ministério do Meio Ambiente
Como tirar o passaporte do bebê
How to travel more green with your family
As 20 melhores cidades do mundo para andar de bicicleta
Oportunidade de hospedagem em fazendas orgânicas por meio período de trabalho no mundo todo – há vários locais participantes no Brasil, geralmente são famílias vegetarianas, e alguns deles aceitam receber pessoas acompanhadas de crianças
Calculadora de emissão de carbono
A partir de 2014, valerá nova lei para vôos com bebês no Brasil
Um ponto de vista divertido sobre longas viagens com crianças
A intolerância social a crianças e a exclusão das mães
Para conhecer logo: 10 destinos que estão sumindo do mapa

5 thoughts on “Viagem com bebê

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s